Marketing X TIs
Por Thiago Cabrino
01/08/2002

Hoje em dia uma das ferramentas de marketing mais evidentes e importantes é aquela que trata diretamente sobre o relacionamento organização-cliente. Inúmeras são as empresas que estão construindo elos de valor entre as partes, criando cada vez mais departamentos voltados ao atendimento especializado na solução de problemas e na valorização dos produtos/serviços oferecidos. No início foram os 0800, depois vieram os SACs e assim por diante. Atualmente, após os telemarketing e call centers, surgem tecnologias de informação (TIs) que buscam constantemente armazenar, organizar e processar os dados obtidos para a utilização em prol da empresa, ou seja, codificar os dados para que estes tornem-se fontes ricas em informações sobre os clientes, seus hábitos e costumes pessoais.

Este sistema cresce, e a preocupação junto a agilidade do processo aumenta, ao passo que a evolução dada ao mercado se mostra acelerada. Assim, sabendo que o futuro do mercado será todo voltado ao Serviço, inúmeras são as alternativas a serem trabalhadas nesse momento, com o intuito de antever os acontecimentos e seguir ao lado das evoluções presentes no mercado.

Assim sendo, a criação do elo de valor entre empresa-cliente deve ser construído a todo momento, não somente no ato da compra, mas sim no prosseguimento – no pós-venda – onde a empresa poderá oferecer constantemente seus produtos/serviços de forma a criar uma percepção junto ao cliente de atendimento altamente personalizado e, principalmente, preocupado com o bem-estar e satisfação daquele consumidor que passou por suas dependências e que com um trabalho bem feito, poderá se tornar fonte de uma das principais ferramentas de venda – o boca-a-boca.

Trabalhar eficazmente nesta área é importante, porém toda empresa deve se estruturar de forma a poder recolher os dados, codificá-los e analisá-los para reverter este trabalho em frutos positivos.

A obtenção de um cadastro é o básico para a iniciação deste processo. Quanto mais sofisticado – maior número de informações – melhor será o trabalho e a sua amplitude de ação também. Conhecer quem compra, o que compra, de que forma compra, quando compra, porque compra, de que forma paga, entre outros, são elementos que auxiliarão, e muito, no processo, pois assim os responsáveis poderão trabalhar de forma direta, e oferecer aquilo que o cliente espera, ou mesmo algo mais, o inesperado, aquilo que poderá valorizar o trabalho e o conceito da organização.

Hoje, praticar o pós-venda é importantíssimo, porém empregá-lo de forma correta é essencial para qualquer organização, pois como visto, de acordo com as pretensões a serem alcançadas, a estruturação torna-se imprescindível para que as ações tenham resultado e voltem-se como aspectos positivos e não negativos, pois um trabalho errado, tende a criar uma relação de rejeição, que, muitas vezes, pode ser irreversível.

Trabalhar com um sistema de informação abre alternativas de ação bastante diversificadas, de acordo com as metas a serem atingidas. Com a evolução da internet, esse processo tornou-se barato diante do potencial de abrangência, e com amplitudes de alcance muito significativas, já que um único material pode ser enviado a um grande número de clientes de uma só vez, em questão de minutos. O marketing direto também possui outras ferramentas importantes que podem ser utilizadas de forma eficaz, sempre objetivando vender, auxiliar, ou mesmo parabenizar por uma data especial.

Por isso, analise bem esta questão, pois se a sua organização ainda não se ateve a este fato, poderá estar perdendo espaço para os concorrentes, o que hoje é um prejuízo empresarial muito grande, que traz consigo inúmeros danos financeiros e estruturais.

Pense, avalie e reflita, será que não está no momento certo de arriscar um pouco mais e atualizar o processo de trabalho em torno de ferramentas positivas para a manutenção e futuro da sua organização?