Comércio Global em queda
Por Dill Casella
02/04/2009

A Organização Mundial do Comércio estimou em 9% a queda do comércio global em 2009. É a crise...Vai ser a maior ladeira abaixo desde 1945, final da Segunda Guerra Mundial!

E onde essa crise pode parar? Lógico que em nossas vidas!! Lógico que em nosso dia a dia! Recuaremos quase dois dígitos no resultado de nossas vendas! Apertaremos os cintos de nossas contas, puxaremos o freio de nossos gastos, cortaremos despesas desnecessárias, focaremos no essencial e...

...e atingiremos o objetivo supremo da depressão pessoal profunda! Se continuarmos a focar somente no problema...Se olharmos a metade vazia de algo, se atentarmos somente para a falta de vento da nau de nossas vidas, conjugarmos o “tá feio”, “o mercado tá ruim” e por ai vai.

Pense na necessidade de mudança, no que pode ser explorado ainda! Costumava usar o seguinte jargão em meus treinamentos: “Se você continuar a fazer o que sempre fez, irá atingir os mesmos resultados...” Agora, não mais: você vai atingir MENORES resultados se continuar do mesmo jeito!

Ah, então esperar pelo cliente entrar em seu comércio, esperar sua carteira atual de clientes comprar ou recomprar, manter seu site atual (aquele que você não atualiza há alguns anos...), manter a embalagem de seus produtos do mesmo jeito, os mesmos serviços agregados (se você já não os cortou...), a equipe sem treinamento ou estruturada da mesma forma será o fim!!

Criatividade, ousadia e anormalidade serão características valorizadas como nunca!

Enxergar sob novas dimensões, vivenciar o cliente, comunicar-se mais com ele (leia-se: ouvi-lo e surpreende-lo), criar novos usos, novos mercados, novos produtos!

Ousar sem ser inconveniente é uma arte! Quem ousa com autenticidade e leveza rouba a cena e marca presença por longo tempo...O inconveniente é óbvio e cansa logo de cara!

E o normal? Esse simplesmente espera o chão ruir! Como se fala atualmente, não “causa”... Afinal, num cenário de queda de resultados, ele é campeão em arrumar desculpas e continuar apostando que algo de fora, do além, modifique seus resultados. Portanto, apostar na ANORMALIDADE é apostar numa estratégia camaleão (de apropriação ao ambiente e de ação rápida).

O anormal vai além de produtos e serviços. Conta e encanta através de suas histórias, argumentos e vivências. O anormal não vende só morangos...vende frutas silvestres, plantadas por mãos macias, em lindos canteiros arborizados, regados pela mais límpida água da montanha, adubadas de maneira natural e colhidas por lindas jovens sorridentes que usam vestidos brancos, com laços vermelhos...Deu água na boca? Então funciona!!


Dill Casella (www.dill.com.br) é Engenheiro Civil, pós graduado em Marketing, especialização em Desenvolvimento Gerencial e Empreendedorismo pela FDC e Practitioner pela SBPNL. Com mais de 15 anos em cargos de liderança de empresas de primeira linha, realiza palestras em vendas, atendimento ao cliente, liderança e motivação. Também é compositor, músico, escritor e ator amador.