Compreensão das Pesquisas em Marketing
Por Rafael Mauricio Menshhein
02/08/2007

Transformar os dados coletados em informações realmente úteis para a organização é fruto de muito conhecimento e, interpretando adequadamente uma pesquisa, pode-se chegar a um resultado muito melhor do que os concorrentes.
Todos os dados podem ser trabalhados e estudados para que sejam utilizados em um certo momento, mas o excesso também pode acabar prejudicando o trabalho realizado, pois uma gama muito extensa de informações acaba distorcendo o foco real do estudo.
Da mesma maneira com a qual a coleta dos dados pode ser muito bem elaborada, há momentos em que alguns filtros devem ser criados para trazer até a organização o que realmente importa, gerando mais conhecimento e permitindo estudos mais aprofundados do assunto em questão.
As pesquisas têm como missão trazer dados relevantes e que agreguem valor no estudo realizado, mesmo assim há momentos em que o público-alvo passa muito mais do que simples dados, revelando desejos que em algumas pesquisas não aparecem.
Com o uso da internet o consumidor pode sentir-se mais a vontade para revelar um pouco mais do seu modo de pensar, desta forma é natural que algumas organizações acabem optando por realizar pesquisas em suas páginas (sites) ou mesmo por e-mail.
Como existem mais ferramentas disponíveis atualmente, a facilidade em se criar uma pesquisa é evidente, mas sempre existem pontos que devem ser levados em consideração, pois nem todos os consumidores utilizam a internet ou estão dispostos a responder questionários.
Durante a elaboração das questões é necessário criar uma ordem lógica para que o consumidor possa entender o assunto da pesquisa, por isso é importante que a linguagem utilizada também esteja alinhada com o nível de conhecimento das pessoas, e quanto maior a facilidade de se ler e entender uma questão, melhor.
Todas as pesquisas são válidas quando bem elaboradas e aplicadas adequadamente, e como não há uma pesquisa que possa ser classificada com perfeita, deve-se chegar o mais próximo da perfeição, evitando possíveis brechas ou questões sem uma função específica.