Fale Conosco Política de Privacidade
   

 

Consciência Ambiental em Marketing

Por Rafael Mauricio Menshhein

14/03/2007

Dentro do Marketing existem conceitos que estão intimamente ligados, que seu equilíbrio permite o sucesso de uma organização no mercado e dá ao consumidor a oportunidade de perceber claramente o Valor do produto ou serviço.
Da mesma forma em que os 4 P´s são para a empresa seu composto mercadológico, agora anexando-se um quinto P, de pessoas, pode-se dizer que os 4 C´s podem usar um conceito similar para introduzir um novo C.
Com o conhecimento cada vez maior dos consumidores, a percepção das ações das organizações estão mais visíveis, e com o aumento da preocupação com o meio ambiente há uma busca por adquirir produtos ou serviços ecologicamente corretos.
Diante de vários fatores que levam empresas a buscar produzir de forma a poluir menos, acaba por destacar-se a consciência ambiental, como um novo C ligado ao consumidor.
Esta consciência, ainda em crescimento, pode ser interpretada como o desejo das pessoas em não fazer parte de algo que acabe por destruir o ambiente a sua volta, é uma necessidade de viver em um local por um período de tempo indeterminado.
Atualmente procuram-se produtos combustíveis para substituir o petróleo, como:

  • O álcool;
  • Eletricidade;
  • Energia solar;
  • O próprio ar.

Com esta preocupação por poluir menos, a consciência acaba tornando-se parte vital para que as organizações permaneçam atuando no mercado, a exigência focada neste quesito é muito maior hoje e tende a crescer intensamente.
Enquanto várias organizações ainda não preocupam-se com este ponto, pode-se perceber o direcionamento de inúmeras empresas em busca de soluções que proporcionem ao consumidor a percepção real dos cuidados das organizações, apontando soluções como:

  • Reciclagem: todos os produtos passam a ser produzidos com o intuito de reaproveitamento de peças e componentes, percebido e usado há mais tempo com o papel;
  • Produtos naturais: produtos químicos acabam substituídos por outros de mesmo uso, coletados em plantas e que retornam à natureza sem causar danos.

A vantagem de reconhecer essa consciência como um novo C é compreender que o consumidor definirá qual empresa permanecerá no mercado, com todos os atributos de seus produtos voltados para um mercado verde, ou seja, ambientalmente correto.
Essa consciência ambiental deve ser incorporada por todos os colaboradores da organização, especialmente porque os stake holders dependem diretamente do sucesso de uma empresa no mercado.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.




Notícias sobre propaganda e Marketing? Acesse o Portal do Marketing.net