Criação de Valor em Marketing

Por Rafael Mauricio Menshhein

26/10/2006

Um dos pontos mais relevantes ao buscar um determinado mercado-alvo, é criar Valor para o consumidor, elaborar produtos que muito além da sua forma física, ou então sua utilização no caso de serviços, causem um impacto na mente do consumidor e seus benefícios sejam realmente percebidos pelos consumidores.
Os profissionais de Marketing devem estar atentos aos fatores que influenciam neste impacto causado por um produto que possua em seus atributos o Valor, desde a idéia inicial até a elaboração das estratégias adequadas ao mercado e público-alvo, direcionando ou focando um Segmento ou Nicho de mercado, mas sem esquecer dos estudos que envolvem as variáveis dentro da Segmentação de mercado, como fatores Demográficos, Geográficos, Psicográficos ou Comportamentais.
Com a inclusão do Valor nos produtos e serviços, deve-se compreender que tal fator está muito além das medições imaginadas, pois dentro de um mesmo grupo de consumidores não há como satisfazer todas as necessidades e desejos dos consumidores, este também é um fator muito importante e que faz do Marketing uma ciência que sempre tenha estudos constantes e aprendizado contínuo, pois as pessoas mudam seu comportamento, sua forma de pensar, mudam de residência e até de classe social.
Cada vez mais é importante conhecer profundamente o mercado, os desejos do consumidor e os concorrentes, mesmo que tudo pareça fácil quando a empresa possui um produto que gera vendas espetaculares no mercado, sendo a detentora de uma fatia muito maior que os demais, pode-se então cair no erro e deixar com que o ego tome conta de todas as ações e perdem-se chances de continuar cativando consumidores, manter consumidores por meio da fidelização e gerar uma prospecção de novos clientes muito menor do que poderia ser realizado ao entender que muito além do termo Marketing existe o profissional, que não descansa na busca por ofertar seu melhor produto ao consumidor, dar ao mercado não apenas mais um concorrente, mas sim fazer com que os demais tenham ficado para trás e percamos mercado não somente por erros próprios, mas por competência do profissional de Marketing.
Com as evoluções em determinadas áreas, como o advento da Internet, o consumidor está muito mais exigente, sabe o que procura e não está disposto a perder tempo e dinheiro com um produto frágil e que não traga benefícios para si, é neste ponto que entra o Valor, não apenas dar ao consumidor o que ele procura, mas dar-lhe um produto que o surpreenda em certos pontos, mas que acima de tudo faça com que este mesmo consumidor diga “meu dinheiro foi muito bem aplicado neste produto, já sei onde comprar novamente”.
Para chegar neste ponto, muito mais do que Marketing é necessário, são estratégias que buscam em certos dados o ponto exato para que seu consumidor tenha prazer ao comprar, pois no ato da compra sua análise passa não somente pelo preço, mas por tudo o que a empresa imaginou e muito além disso, quanto aos usos dos produtos ofertados.
As estratégias de Marketing não devem somente preocupar-se com o Valor, o produto é o passo inicial de todo este processo e que na reta final demonstrará o Valor ao consumidor, pois o mercado possui inúmeros concorrentes, são Segmentos diferentes, públicos-alvo diferentes, estratégias diferentes, empresas e produtos diferentes, mas a empresa que proporcionar ao consumidor o maior Valor ao produto, terá que usar muito bem os dados coletados, as pesquisas realizadas e o Marketing fará uso das melhores estratégias para demonstrar ao consumidor que ao levar seu produto está certo.
A concorrência pode tomar espaços no mercado, pode ter produtos similares e fazer com que as percepções do consumidor tornem-se cada vez mais aguçadas, então cabe ao profissional de Marketing não deixar seu ego tomar conta de tudo, porque a partir deste momento o encanto, paixão e a humildade ao fazer o que se gosta perdem o sentido e leva somente ao desaparecimento da empresa e seus produtos.
Há muita importância ao informar o consumidor sobre as qualidades dos produtos, só não há motivos para esquecer que antes de tudo o profissional de Marketing e toda a sua equipe devem ser os primeiros a comprar o que ofertam ao consumidor.
Segundo a Wikipedia, uma oferta de Marketing só alcançará êxito se proporcionar Valor ao seu mercado-alvo. O cliente recebe benefícios e assume custos, por isso definimos Valor como a razão entre tudo aquilo que o cliente recebe e tudo o que sacrifica ao fechar um acordo. É muito mais complexo do que uma simples troca comercial. Os benefícios incluem benefícios funcionais e emocionais, os custos incluem custos monetários, de tempo, de energia e psicológicos.
O cliente está sempre optando entre diferentes ofertas de valor, e escolherá sempre aquela que lhe oferecer a melhor relação benefício/custo. O profissional de Marketing deve aumentar o valor da oferta para o cliente com diversas estratégias:

Aumento de benefícios;
Redução de custos;
Aumento de benefícios e redução de custos;
Aumento de benefícios em proporção maior do que o aumento de custos;
Redução de benefícios em proporção menor do que redução de custos.


Estima-se que o custo de atrair um novo consumidor é cinco vezes o custo de manter um consumidor fiel. Assim, uma das principais tarefas do Marketing é manter seus consumidores satisfeitos. A satisfação do mercado-alvo depende diretamente do desempenho da oferta em relação as expectativas dos clientes. A expectativa por sua vez é construída a partir de experiências anteriores dos consumidores e da reputação, promessas e informações fornecidas pela empresa.
O cliente ficará satisfeito se o desempenho alcançar suas expectativas, e insatisfeito se não alcançar. Se o desempenho for além e superar as expectativas, o cliente então ficará altamente satisfeito ou encantado. Um cliente encantado, vale dez vezes mais para a empresa do que um cliente satisfeito, isso porque os altamente satisfeitos são muito menos propensos a mudar para a concorrência quando parece surgir oferta melhor. Os diferentes aspectos que contribuem na gestão desta satisfação podem ser contemplados pelo Composto mercadológico.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.

 


Falar de mudança dentro de algumas organizações é um hábito já implantado na cultura organizacional, com uma percepção de que adquirir conhecimento permite dar novos passos, buscar novas soluções e produtos realmente diferenciados da concorrência.
Mas a mudança é vista por muitos como um terreno desconhecido, talvez porque falte uma pesquisa sobre o assunto em questão, talvez por imaginarem que mudar não é necessário.
É fato que as pessoas tendem a resistir um pouco a qualquer mudança, seja na sua vida, em sua própria casa ou na empresa, e não são todas as mudanças que podem ser traumáticas, mas a forma como serão implantadas é que faz com que cada um tenha uma reação em defender o ambiente como está.
Também é interessante perceber que se alguém tende a impor uma mudança ela não será bem aceita, não pela mudança em si, mas é necessário ter um planejamento para implantar uma mudança na organização, para que as pessoas se acostumem com a idéia, que recebam todas as informações necessárias sobre as alterações e que participem realmente do processo.
Então é possível reduzir o impacto de uma mudança, que em certas empresas é uma forma de se esquecer das pessoas, mas que em outras é a mudança que dará mais valor a cada um dos talentos humanos.
Talvez a maior resistência das pessoas esteja ligada diretamente à sua maneira de lidar com tudo, é bem provável que a organização esteja, para muitas pessoas, muito distante da mudança, mas é possível unir as duas coisas, ter organização pode levar a encontrar mais facilmente o que se procura, e também não há uma necessidade de mudar tudo a todo momento, mas em um processo gradual.
Você pode iniciar uma mudança leve em sua própria casa, como mudar o local de leitura diário, o que poderá tornar-se um hábito, pois há dias em que é necessário observar um mesmo assunto de outro ângulo.
Só não há uma necessidade de mudar de forma radical tudo o que vê pela frente, principalmente porque antes de correr todos tiveram que aprender a se equilibrar e andar, o que demonstra o planejamento que o corpo exige para se adaptar às novas situações, e também funciona assim com a mente, pois uma leve mudança no início faz com que as pessoas achem que estão esquecendo.
Mas se mudar algo do ambiente que o cerca for difícil, é evidente que a mudança deve ser na própria pessoa, e que pode ser mais fácil de controlar, pois você tem total controle sobre a forma de pensar, agir e ganhará mais conhecimento sobre si.
Só que dentro das organizações o tempo parece estar contra todos, e é porque uma pessoa que não sabe planejar acaba passando para as outras algo que não entende.
Diariamente é possível ver inúmeros exemplos onde a falta do planejamento traz perdas grandes para as pessoas e para a organização, como reflexo do que é deixado de lado, ou seja, pensar e pesquisar sobre o que será importante para a organização.
A mudança tem como objetivo trazer a melhoria das pessoas, das organizações e deve ser parte da cultura da empresa, sem que esta cultura prejudique o funcionamento e desempenho da organização, pois tudo o que é feito dentro de uma empresa é iniciado com o planejamento, que é baseado no conhecimento sobre um objeto, uma ação e todas as variáveis que estão conectadas.
Mudar não é apenas trocar algo de lugar, é melhorar seu conhecimento, aprender novas técnicas, compartilhar um conhecimento e ter dentro de si o desejo de estar sempre fazendo o seu melhor no momento presente, para que no futuro não hajam dificuldades.

 

 

A tomada de decisão é um processo que exige conhecimento, ao se estudar um mercado há a possibilidade de encontrar uma oportunidade, disponibilizar seus produtos ou serviços, criar uma rede de distribuição melhor e mais eficiente e eficaz.
Todas as decisões devem, ou deveriam, ser tomadas com base em dados concretos, existem certos riscos que não podem ser corridos pelas empresas, entrar em um mercado sem o conhecer é um risco muito grande e não traz bons resultados.
As organizações sempre podem buscar referências em suas pesquisas, que apontam a direção à qual o mercado se dirige, mas ainda assim é possível encontrar uma oportunidade que as demais empresas não tenham visto, mas que traz riscos e seu estudo é fundamental.
O que acontece em algumas empresas é que existe:

Quando uma organização consegue analisar todas as variáveis que a cercam, pode tomar decisões com maior precisão, atende aos seus objetivos e oferta ao consumidor os melhores produtos e serviços.
Decidir não é arriscar-se em um caminho desconhecido, mas procurar um terreno já conhecido, aprofundar os estudos sobre o terreno e tomar uma decisão com base nas informações obtidas, pois desta forma a organização consegue avaliar tudo o que é necessário para estar presente em um novo mercado ou trazendo um novo produto.
As melhores decisões são aquelas que são tomadas com base em conhecimento, agregando novas possibilidades e abrindo os olhos das organizações para as inúmeras possibilidades existentes.




 

O portal do Marketing respeita seus visitantes e usuários. Leia aqui a Política de Privacidade