Estamos na era do conhecimento ou do aborrecimento?
Por Leonardo Aureliano da Silva
08/01/2011


É fato! Há certa confusão entre a era do conhecimento intrínseca no homem desde os primórdios e a era da revolução informacional. A avalanche de dados e informações tem levado muitos profissionais a pensarem que possuem o suficiente para a tomada de decisão gerencial, quando na verdade estão se afogando num oceano informatizado.

Argumenta-se que “em tempos de guerra a informação é a arma mais poderosa”, entretanto, conclui-se, que é poderosíssima se mal utilizada ou não for fidedigna. A informação pode construir ou destruir (AURELIANO, 2009).

Especialistas afirmam, “estamos vivenciando a era do conhecimento!”. No meu ponto de vista, a era do conhecimento faz parte da vida do ser humano há muito tempo, para isso, basta observar o processo de evolução demonstrado pela teoria Darwiniana.

O acesso imediato a informação facilitado pelas tecnologias da informação tem levado muitas pessoas a acreditarem que possuem conhecimento, quando de fato, possuem um “material” estático e extremamente vulnerável no tempo e no espaço. “A informação se consome por si só”. (AURELIANO, 2009)

O imperativo desta era é consolidar informação e conhecimento. Neste contexto, transformar informação em conhecimento é o grande diferencial competitivo da gestão de negócios. “As empresas têm muita informação, mas conhecem pouco os seus clientes” (AURELIANO, 2009).

Reflita sucesso!


Leonardo Aureliano da Silva é Bacharel em Administração de Empresas. Especialista em Administração de Marketing. Mestrando em Administração - UNINOVE. Pesquisador em marketing e estratégias. - Professor Universitário – Universidade Nove de Julho - UNINOVE - Disciplinas relacionadas à Administração e Marketing. e-mail: mkt_academico@yahoo.com.br