Estratégia - A força Invisível e avassaladora das organizações competitivas
Por Leonardo Aureliano da Silva
08/01/2011


Gostaria de iniciar esta reflexão com as seguintes perguntas. O que é Estratégia?Para o que serve uma estratégia ?

Estratégia pode ser considerada como uma reflexão, um processo cognitivo e sistemático que facilita o alcance de determinado objetivo. No caso das empresas, os objetivos poderiam ser o aumento de market share ou lucratividade, aquisição de empresas concorrente ou fusão.

Muitas são as definições sobre estratégia. Como afirma Hambrick (1983), “a estratégia é um conceito multidimensional e situacional que dificulta uma definição de consenso”.

O ambiente competitivo é marcado por mudanças abruptas e inesperadas. O fator globalização se tornou um aspecto que dificulta a previsão de como os concorrentes do “outro lado do mundo” se comportarão. O efeito surpresa neste cenário de competição se tornou importantíssimo. Num piscar de olhos, alguma empresa de outro setor, ou mesmo de outro país, poderá atuar no seu mercado.

Por ser o conceito estratégico multidimensional e situacional é difícil afirmar que existem empresas que não possuem uma estratégia. Alguma intenção com certeza deve existir, o que talvez falte, seja a cultura estratégica. A cultura estratégica consiste em discutir entre os membros responsáveis pela administração “maior” da empresa, o que se pretende alcançar e como alcançar.

Para Chandler (1962), “estratégia é a determinação dos objetivos básicos de longo prazo de uma empresa e a adoção das ações adequadas e afetação de recursos para atingir esses objetivos”.

Seja a curto, médio ou longo prazo, é certo de que a eficiência da estratégia dependerá muito do envolvimento de todos os níveis da empresa, aplicando ações que vão ao encontro do que for proposto pela estratégia empresarial e as oportunidades do ambiente.

Ansoff (1996) afirma que, “ estratégia é um conjunto de regras de tomada de decisão em condições de desconhecimento parcial. As decisões estratégicas dizem respeito à relação entre a empresa e o seu ecossistema”.

Deixando de lado alguns conceitos, percebe-se que sem as pessoas atuando em conjunto, a estratégia deixa de existir. A conscientização do que precisa ser feito e como fazer, é fator crítico de sucesso para que os objetivos sejam atingidos. Estratégia não obriga, sugere um caminho a ser percorrido (AURELIANO, 2009).

Muitas adversidades serão encontradas. Mas, vale lembrar, que a força da empresa vencedora não esta apenas na capacidade tecnológica ou financeira que possui. Esta na capacidade que esta tem de utilizar estrategicamente estes recursos, de forma eficiente, porém, avassaladora para a concorrência.

Obrigado por ler este artigo,
Forte abraço,


Leonardo Aureliano da Silva é Bacharel em Administração de Empresas. Especialista em Administração de Marketing. Mestrando em Administração - UNINOVE. Pesquisador em marketing e estratégias. - Professor Universitário – Universidade Nove de Julho - UNINOVE - Disciplinas relacionadas à Administração e Marketing. e-mail: mkt_academico@yahoo.com.br