Evitando Preocupações
Por Gilclér Regina
01/03/2009

As preocupações podem nos colocar numa cadeira de rodas, com doenças como reumatismo e artritismo e estas doenças advém do naufrágio emocional das pessoas, do desastre financeiro, do sofrimento moral, da solidão, das preocupações e mesmo de ressentimentos alimentados por muito tempo.
Não sou médico nem de formação, nem de informação popular, mas são eles que dizem que o distúrbio emocional causa complicações como problemas cardíacos, úlceras no estômago e até diabetes e estas doenças são primas entre si, primas em primeiro grau. São todas doenças causadas por preocupações.
Um livro, editado em 1948, continua sendo uma bíblia para muitas pessoas no mundo, com mais de 15 milhões de exemplares vendidos. Trata-se de "Como evitar preocupações e começar a viver" de Dale Carnegie. Uma citação do grande filósofo William James diz que "Cristo pode perdoar os nossos erros, mas o nosso sistema nervoso jamais faz isso".
Existe uma porção de gente no mundo que faz da vida um inferno, para si mesmo e para os demais. As perturbações nervosas são causadas pelas sensações de inutilidade, frustração e ansiedade. A ciência médica necessitou mais de dois mil anos para reconhecer esta verdade, através da medicina chamada psicossomática, que trata tanto do corpo como do espírito e vê que a maioria das doenças são adquiridas por pessoas que pensam que estão doentes e acabam ficando doentes mesmo.
O importante não é fazer discurso, é colocar em prática. Já vi muita gente marcar o início da semana para parar de fumar ou iniciar o regime, e nunca fazem. Os chineses afirmam que um exemplo vale mais que dez mil palavras. Mais da metade das preocupações no mundo são causadas por pessoas que procuram tomar decisões antes de ter conhecimento suficiente no que basear uma decisão. É o velho ditado popular do "apressado come cru".
Na escritura sagrada nós lemos que uma mente desocupada é oficina do mal. Compreendemos que é mais difícil se preocupar com alguma coisa quando se está ocupado. O trabalho constitui-se num dos melhores anestésicos que se conhece para as doenças mentais. É incrível, mas justamente quando deveríamos ser mais felizes, naquelas horas após o trabalho, é quando nos assaltam os pensamentos negros das preocupações.
O grande pensador Bernard Shaw tinha razão quando resumiu essa questão ao dizer: "O segredo de se sentir infeliz é ter tempo para se preocupar com o fato de ser ou não feliz".
Ponha-se em ação. Saia do lugar. Entenda que o futuro a Deus pertence, o passado já era, mas o que importa mesmo é o momento presente, uma dádiva de Deus, um grande remédio, bom e barato, que existe sobre a terra e ao alcance de todos.
Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus!

Gilclér Regina é Consultor, Escritor e Palestrante no Brasil e exterior. autor de livros e CD's que já atingiram a marca de 4 milhões de unidades comercializadas. Realiza mais de 100 palestras por ano em Convenções de Empresas. Tem formação em Dinâmica Humana pelo The National Value Center- Texas-EUA, em TQM pelo ASQC American Society for Quality Control-Winsconsin-EUA curso de Desenvolvimento e Gestão Humana pelo The Graves Technology. É presidente da empresa CEAG Desenvolvimento de Talentos e Editora Ltda. É também articulista de aproximadamente 300 revistas, jornais e sites. Uma pessoa de origem humilde que tornou-se um dos Conferencistas mais procurados para os eventos e convenções no Brasil. Site: www.ceag.com.br