“Hot Marketing” - O segmento da sensualidade
Por Leonardo Aureliano da Silva
08/01/2011

“Hot Marketing” - O segmento da sensualidade

Falar sobre sexo já não é mais um tabu há muito tempo, aliás, esse assunto, sempre fez parte dos bate-papos do cotidiano, anteriormente, de forma mais reservada. O paradigma sobre sexo foi quebrado de tal forma que se tornou comum encontrar lojas especializadas em produtos que servem para apimentar a relação dos enamorados.

A abordagem do marketing como filosofia de negócios que busca a satisfação do consumidor nos impulsiona a uma reflexão mais cuidadosa sobre esse segmento de mercado. Do ponto de vista biológico, a relação sexual tem por objetivo a manutenção da espécie, ou seja, a sua continuidade. Abordando este assunto sobre o prisma do marketing, nota-se que este segmento, também pode ser trabalhado no nível dos desejos. Ao ser trabalhado no nível dos desejos, as ações mercadológicas para este segmento envolverão as questões das “fantasias”, formando e criando, imagens e situações relacionadas ao sexo e ao prazer.

Pensar sobre uma abordagem de marketing mais adequada nesta área, exigiria um estudo mais aprofundado sobre o tema, além de pesquisas de caráter científico para a sua validação. De momento, o que não pode ser feito, é deixar de lado este grupo de consumidores que buscam a realização dos seus desejos, a melhoria de sua relação com a pessoa amada e consequentemente mais qualidade de vida.

Exemplo de sucesso nesta área, é o de Suzana Leal , conforme artigo publicado no Valor On-Line. A empresária com MBA em marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), gastou R$ 80 mil para criar a Pselda. Para sua surpresa já conta com 1.200 clientes cadastradas. "Nosso público é das classes B + e A", diz a empresária. Ela está construindo um espaço cultural de palestras para mulheres, com temas variados que vão de sexo a filosofia, com patrocínio da Casa Granado. Em 2007, planeja montar uma Pselda na capital paulista (projeto para o qual busca um investidor como sócio) e estuda entrar no ramo de franquias.

A aplicação correta dos conceitos de marketing junto com as ferramentas mercadológicas para análise e desenvolvimento de produtos serão fatores críticos de sucesso para o empreendedor de um SexShop. O entendimento correto dos objetivos do consumidor destes tipos de produtos é a base para a compreensão de um mercado maior muitas vezes preconceituoso e puritano.

Talvez o primeiro passo necessário nesta fase seria o de desmistificar a imagem “negativa” deste tipo de loja. É importante reforçar aos consumidores potenciais, que sexo, é muito mais do que apenas prazer, é também, alegria, saúde, e amor a vida, aspectos tão necessários a todos nós humanos e eternos apaixonados!

Obrigado por ler este artigo,

Saúde,

Leonardo Aureliano da Silva é Bacharel em Administração de Empresas. Especialista em Administração de Marketing. Mestrando em Administração - UNINOVE. Pesquisador em marketing e estratégias. - Professor Universitário – Universidade Nove de Julho - UNINOVE - Disciplinas relacionadas à Administração e Marketing. e-mail: mkt_academico@yahoo.com.br