Liderança Empresarial

Por Carlos Alberto de Faria

03/07/2008



"Um líder forma e partilha uma visão,
que dá sentido ao trabalho dos outros."
Charles Handy


Há uma verdadeira maré de debates sobre liderança, todos querendo ser líderes, chegando ao endeusamento dos líderes. Alguns conceitos de liderança estão se popularizando, muito embora nem sempre suportados pela realidade empresarial.

O líder empresarial é, e sempre será, cobrado por resultados. E não quaisquer resultados, somente os resultados acordados e negociados.

O que se deve primeiro discutir é quais são ou deveriam ser os resultados cobrados e esperados de um líder?

Aqui há outra polarização, pois uma maioria míope enxerga, ou pelo menos é o aspecto dos resultados o mais divulgado, o resultado financeiro, o lucro com o principal resultado.

Nada contra o lucro, é essencial à sobrevivência de quaisquer empresas, mas enxergar o resultado financeiro como único, é uma visão míope do que está envolvido tanto na liderança como na perenidade de uma empresa.

Todas e quaisquer empresas trabalham com 4 públicos distintos:

- os acionistas ou proprietários;
- os empregados;
- os clientes, e
- a sociedade que cerca o empreendimento, a sociedade composta pela vizinhança da empresa, não somente geográfica.

Todas e quaisquer lideranças empresariais obrigam-se ou precisam ser medidas por alcançar os resultados acordados, junto a estes quatro públicos diferentes.

RESULTADOS JUNTO AOS ACIONISTAS OU PROPRIETÁRIOS
Os seus acionistas ou proprietários devem obter a justa remuneração pelo capital investido, na forma de dividendos ou lucro. Este é um resultado que garante até o ingresso de capital de fora, caso o resultado seja ótimo. Investir para crescer é uma necessidade, pois se sua empresa não cresce, o concorrente está crescendo e sua empresa diminuindo.

RESULTADOS JUNTO AOS EMPREGADOS
Os resultados para os seus empregados são:
- ter um bom ambiente de trabalho,
- dar um significado para os esforços individuais e coletivos,
- sentir-se pertencente a um grupo que faz a diferença;
- sentir que o seu trabalho ajuda a sociedade a melhorar e crescer, e
- ter o seu desenvolvimento como pessoa e como profissional, dentro da empresa.

RESULTADOS JUNTO AOS CLIENTES
Os seus clientes precisam sentir que:
- a troca com a sua empresa (dinheiro por serviço ou produto) é vantajosa para eles, e
- a sua empresa é séria e ética em seus diversos relacionamentos.

RESULTADOS JUNTO À SOCIEDADE
A sociedade circundante espera que a sua empresa seja participante da construção de uma sociedade mais justa, onde toda a forma de vida seja respeitada e onde as pessoas tenham oportunidades de realização de acordo com suas potencialidades.

Estas são as quatro áreas de resultados que todos e quaisquer líderes têm que trabalhar, inclusive você.

Obter estes resultados é como andar em uma corda bamba.

O líder tem que servir a agrupamentos de pessoas que têm desejos e necessidades que se opõem, exigindo um conjunto de competências para o balanceamento entre os resultados demandados pelos quatro públicos distintos, difícil de ser obtido. Por isso o líder é tão raro e caro.

E já dissemos, apesar de haver uma corrente quase religiosa, pois beira a crença, e não suportada por fatos observados e científicos, a liderança pode ser aprendida, mas somente por um número reduzidíssimo de pessoas.

Leia "A Liderança Pode Ser Aprendida?"

Encarar o líder como servidor é só enxergar um meio. O líder serve aos quatro agrupamentos de pessoas mencionados acima.

A liderança empresarial, na realidade, é um realizador, uma pessoa de ação que conduz a empresa aos múltiplos resultados acordados e balanceados, junto aos seus quatro públicos-alvos.

A pragmática empresarial exige uma desvinculação de teoria, conceitos, proposições e cenários.

A pragmática empresarial está umbilicalmente conectada à obtenção de resultados.

A pragmática empresarial exige resultados.

Liderança empresarial é definida e marcada por alcançar resultados. Se a liderança não realizar os resultados acordados e negociados, não é liderança empresarial, mesmo e apesar de ter servido a Deus, ou ao diabo.

Liderança empresarial é a liderança que apresenta resultados.

Servir é o meio, meio de coesão, forma de aglutinar as forças, não somente as disponíveis, mas as necessárias e suficientes, e as dirigir, orientar para alcançar os resultados acordados e negociados.

A semana que vem trataremos da amplitude dos resultados da liderança, que no fim é como a liderança empresarial pode e deve ser medida.

Através dessas medidas poderemos ter uma idéia de quais são as competências da liderança empresarial, que contém a liderança servidora, mas é bem maior do que esta.

Você é um líder na sua empresa. Você está capacitado para exercer a liderança no seu conceito pragmático de resultados, atendendo os 4 públicos distintos citados acima, através de:

- repartição de recursos e

- condução de esforços

na obtenção de resultados esperados e acordados?

E na celebração e compartilhamento do sucesso?

O estado da arte da gestão, a prática das modernas organizações, hoje, entende o seguinte por liderança:

"LIDERANÇA
A Liderança engloba o sistema de liderança da organização e o comprometimento pessoal dos membros da Direção no estabelecimento, disseminação e atualização de valores e princípios organizacionais que promovam a cultura da excelência, considerando as necessidades de todas as partes interessadas.

Também inclui como é implementada a governança (*), como é analisado o desempenho da organização e como são implementadas as práticas voltadas para assegurar a consolidação do aprendizado organizacional.

1. Sistema de liderança
Como é exercida a liderança da organização; como a Direção interage com as partes interessadas; como é implementada a governança; como são gerenciados os riscos empresariais; como são tomadas as decisões; e como é implementado o desenvolvimento das lideranças.

a. Como é exercida a liderança na organização, visando a criação de valor para todas as partes interessadas?

b. Como a Direção interage com as partes interessadas, demonstrando comprometimento e buscando oportunidades para a organização?

c. Como é implementada a governança na organização, visando manter a confiança e proteger os interesses das partes interessadas?

d. Como são identificados, classificados, analisados e tratados os riscos empresariais mais significativos que possam afetar a imagem e a capacidade da organização de alcançar os objetivos estratégicos e do negócio?

e. Como as principais decisões são tomadas, comunicadas e implementadas?

f. Como as pessoas com potencial de liderança são identificadas e desenvolvidas?

g. Como os líderes atuais são avaliados e desenvolvidos em relação às competências desejadas pela organização?

2. Cultura da Excelência
Como são estabelecidos e atualizados os valores e os princípios organizacionais e estimuladas as mudanças culturais necessárias para apoiar a concretização das estratégias; e como são estabelecidos os principais padrões de trabalho, verificado o seu cumprimento, implementado o sistema de aprendizado e desenvolvida a inovação.

a. Como são estabelecidos e atualizados os valores e os princípios organizacionais necessários à promoção da cultura da excelência e à criação de valor para todas as partes interessadas?

b. Como são analisadas e estimuladas as mudanças culturais necessárias para facilitar a concretização das estratégias?

c. Como os valores e os princípios organizacionais são comunicados à força de trabalho e demais partes interessadas, quando pertinente?

d. Como são estabelecidos os principais padrões de trabalho que orientam a execução adequada das práticas de gestão da organização?

e. Como é verificado, de forma global, o cumprimento dos principais padrões de trabalho e tomadas as ações corretivas quando necessário?

f. Como é implementado o sistema de aprendizado da organização?

g. Como é desenvolvida a inovação desde a concepção das novas idéias até a sua implantação de modo a apoiar as estratégias?

3. Análise do desempenho da organização
Como é analisado o desempenho da organização e avaliado o alcance das suas estratégias e objetivos; como são comunicadas as decisões; e como é acompanhada a implementação.

a. Como é analisado o desempenho da organização?

b. Como são consideradas na análise do desempenho da organização as informações e variáveis dos ambientes interno e externo, incluindo informações comparativas pertinentes?

c. Como é avaliado o alcance das estratégias e respectivos objetivos da organização a partir das conclusões da análise do seu desempenho?

d. Como as decisões decorrentes da análise do desempenho da organização são comunicadas às pessoas da força de trabalho, em todos os níveis da organização, e a outras partes interessadas?

e. Como é acompanhada a implementação das decisões decorrentes da análise do desempenho da organização?"

O texto acima não é meu, infelizmente. Gostaria que fosse. Este é o texto dos "Critérios de Excelência", editado anualmente pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), ligeiramente adaptado por mim, para apresentação a vocês.

A FNQ, junto com outras fundações (européias, americanas e asiáticas), estabelece anualmente estes critérios, que sofrem adaptações a cada cultura regional.

Para os interessados, cabe lembrar dois pontos:

- os critérios não são prescritivos, ou seja, não indicam como fazer, mas sim o que deve ser obtido ou feito;

- os critérios estão disponíveis para "download", gratuitamente, para quem se cadastrar na FNQ. O arquivo tem extensão .pdf (Acrobat Reader).

O livreto, intitulado "Critérios De Excelência - Avaliação e Diagnóstico da Gestão Organizacional", tem 52 páginas, contém muitos ensinamentos práticos e atuais (versão 2007).

Eu costumo dizer que se aprende muito com esse livreto. Frequentemente mais do que com alguns livros didáticos de administração. Imperdível, portanto!

Na liderança, ao lado do Poder, é inegável e obrigatório existir a Responsabilidade, pois o Poder Absoluto, depois de 1789, foi colocado na guilhotina.

O que não muda uma vírgula do que o grande mestre Peter Drucker falou sobre liderança, ainda no século passado:

- Não há lideres sem seguidores. Portanto a principal característica do líder é ter seguidores.

- Só há seguidores de pessoas em quem estes confiam. Ninguém segue aqueles nos quais não se confia.

- O Poder exercido pelo Poder, não cria seguidores, mas escravos, e escravos, todos sabemos, não são bons soldados, tampouco bons empregados.

O aspecto que me chama muito a atenção é a confiança. A confiança também é básica em relacionamentos pessoais, nos relacionamentos comerciais, é essencial para vendedores, para as empresas também e os líderes não podem ser líderes sem ela.

A confiança é o nosso assunto no próximo BES, encerrando esta nova série de artigos sobre liderança.

(*) - O texto a seguir é a definição de governança dada no próprio livreto Critérios de Excelência.

Governança:
Sistema de gestão e controles exercidos na administração da organização. Compreende as responsabilidades dos acionistas, proprietários, conselhos de administração, Diretoria e Presidente. Acordos corporativos, estatutos e políticas documentam os direitos e as responsabilidades de cada parte e descrevem como a organização será dirigida e controlada para assegurar:

a) a prestação de contas aos acionistas, proprietários e outras partes interessadas;

b) transparência nas operações;

c) tratamento justo de todas as partes interessadas.

O sistema de governança pode incluir processos como aprovação dos objetivos estratégicos, avaliação e monitoramento do desempenho do presidente, planejamento da sucessão, auditoria financeira, estabelecimento de benefícios e compensações aos executivos, gestão de risco, divulgações e relatos financeiros. Assegurar a eficácia da governança é importante para a confiança das partes interessadas e de toda a sociedade, bem como para a eficácia organizacional.

Carlos Alberto de Faria é sócio diretor da Merkatus - Fonte: Merkatus




 

O portal do Marketing respeita seus visitantes e usuários. Leia aqui a Política de Privacidade