Marketing e as famílias de produtos
Por Rafael Mauricio Menshhein
04/06/2007

Criar uma família de produtos pode ser uma grande solução para uma organização, mas um dos pontos que mais influencia nesta decisão é o estudo realizado e que permite colocar em prática a elaboração da família de produtos.
Em certos casos a falta de pesquisa com consumidores pode gerar problemas, pois apenas atrelar sua marca com “mais um” produto pode não ser o correto a ser feito.
Mesmo diante das vantagens obtidas ao lançar uma linha de produtos no formato família, percebe-se que algumas organizações acabam tomando esta iniciativa porque o concorrente também fez, mas ao mesmo tempo esquece de olhar para a sua própria organização e enxergar o que foi feito.
Copiar as soluções dos concorrentes pode ser um risco tão alto e desconhecido que algumas pessoas apenas tendem a correr atrás da concorrência, sem estudar, planejar, capacitar sua linha de produção ou mesmo entender o que está fazendo.
Todas as organizações que optam por criar uma família de produtos pode ter uma boa intenção, é possível entender que a concorrência está cada vez mais acirrada e o mercado exigente, mas descuidar de pontos importantes pode significar o pior.
Dentre os pontos mais relevantes, podem ser estudados:

Público-alvo: pesquisar junto as pessoas é um dos primeiros passos, não há como lançar um produto e imaginar que ele será adquirido e terá um longo ciclo de vida somente porque possui uma determinada marca, as pessoas entrevistadas podem direcionar quais são os elementos mais importantes e o que mais lhes atrai;
Lógica: para que uma família de produtos tenha mais chances de sucesso é necessário manter algumas características lógicas, os produtos são diferentes, mas a associação do consumidor com os demais é imediata, caso esse simples raciocínio não seja imediato, algo deve ser alterado;
Pesquisa: as perguntas corretas devem ser feitas, o público-alvo deve ser muito bem definido e o resultado deve trazer respostas e não dúvidas para a organização;
Ciclo de vida dos produtos: criar uma família sem conhecer o estágio do ciclo de vida do produto pode afastar a organização do sucesso esperado, um dos pontos mais “comuns” de lançamento de famílias de produtos é muito próximo ao estágio de maturidade, levando em conta que a marca é conhecida e há uma boa base de consumidores.

A grande concorrência é perceptível em qualquer setor do mercado, todas as organizações devem estudar continuamente, aprender sempre e melhorar de forma moderada.
Também existem muitos outros fatores que influenciam nas escolhas das organizações, e é ao menos razoável que haja uma estrutura bem definida no seu planejamento, acompanhando constantemente os acontecimentos e deixando em aberto a opção de melhoria em algum processo.
Criar uma família de produtos só é possível quando o planejamento é sólido e os estudos de mercado são constantes, as famílias só podem aumentar quando há capacidade em atender o consumidor adequadamente e todos sabem que cada produto é um filho para a organização.