Motivação na Educação - O Profeshow
Por Fabiano Brum
12/12/2008

Uma das habilidades mais importantes exigidas na profissão de professor é a sua comunicação e sua capacidade de interação com seu público (alunos).

Comunicação é o ato ou efeito de emitir, transmitir e receber mensagens por meio de métodos e/ou processos convencionados, quer através da linguagem falada ou escrita, quer de outros sinais, signos ou símbolos, quer de aparelhamento técnico especializado, sonoro e/ou visual. É a capacidade de trocar ou discutir idéias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre pessoas.

Comunicar é tornar comum à todos, participar, contagiar, etc; talvez esteja aí o grande desafio do profissional da educação: Não só comunicar mas entrar em sintonia e sinergia com sua platéia (sala de aula).

Para que exista aprendizado, é preciso existir entendimento do conteúdo, que por sua vez exige a atenção do aluno para aquilo que está sendo aplicado. Porém, percebemos que atrair e manter a atenção de um aluno num determinado assunto é cada vez mais desafiador para o professor, pois existem inúmeras outras pessoas e coisas competindo por esta mesma atenção.

O professor de educação infantil, por exemplo, tem uma série de desafios a serem compreendidos para conseguir atenção da garotada. Entre eles:

Lidar com os apelos da mídia (programas de TV, bens de consumo).
Novos meios de comunicação (internet, jogos eletrônicos, entre outros).
Estabelecer sintonia (entrar no mundo da criança).
Lidar com os ídolos infantis (Xuxa, Naruto, Rebeldes, etc).
Tais desafios deverão ser compreendidos e não necessariamente derrubados, pois não são exatamente um problema, mas sim uma oportunidade. A oportunidade está justamente em aliar aquilo que é gostoso, prazeroso e importante para as crianças e utilizar isto como uma ponte para entrar em seu mundo e conseguir comunicação e sintonia.

O professor de educação infantil que faz das coisas que as crianças gostam um problema para si mesmo, está cada vez mais se afastando de seus alunos e daquilo que faz sentido para eles.

Por que não usar estes nossos concorrentes como ferramentas para nossas aulas ao invés de tentar fazer com que a criança rejeite-os preferindo se concentrar em aulas muitas vezes sem criatividade e enfadonhas?

O conteúdo aplicado em sala de aula só será realmente entendido e sedimentado se fizer sentido com a realidade do dia-a-dia da criança.

Então, chegamos a conclusão que “o aprender” deve ser prazeroso e ter conexão com o mundo que nos cerca.

É necessário continuamente ensinar através de atividades lúdicas, coisas práticas e exemplos reais. Como o caso da professora primária que dá aulas sobre pesos e medidas, fazendo bonecos de bolacha com suas crianças na cozinha da escola. É uma aula eficiente, prática e literalmente gostosa, pois ao final, além de entender o conteúdo as crianças podem se deliciar comendo os bonequinhos de bolacha, fruto do seu próprio trabalho.

São tantos os exemplos reais de professores que dão um verdadeiro show de comunicação em sala de aula, que utilizam músicas, teatro, poesia, dinâmicas, discussões, vivências, que não podemos aceitar uma simples desculpa esfarrapada do tipo “não tenho tempo”.

Nosso objetivo é nos comunicar com nossos alunos. A comunicação deve acontecer seja por gestos, pela fala, música, ou pela dança.

Isto não quer dizer que o professor deva ser um palhaço ou um artista de circo, mas é inegável que quanto mais ferramentas agregarmos a nosso favor, melhor será o resultado do nosso trabalho. Neste ponto, jamais devemos confundir uma aula criativa com uma aula engraçada. Muitas pessoas tem usado erroneamente de artifícios como piadas, dinâmicas e outras técnicas de forma descabida e sem objetivos pedagógicos, esquecendo-se que qualquer novidade que venha aparecer na aula deva ter alguma relação com o conteúdo planejado.

Como dizia o Velho Guerreiro, “quem não comunica se trumbica”, e a comunicação tem sido fator preponderante para o sucesso profissional, não só dos professores, mas em todas as áreas do mercado de trabalho.

Não é mero acaso a ação de diversas empresas que contratam assessorias de imprensa, investem em cursos de oratória para funcionários, oficinas de redação, consultorias de etiqueta social, etc. Todas estas ações refletem em uma direção: A importância da boa comunicação com o seu público.

Outro aspecto importantíssimo para a boa comunicação é a expressão corporal, pois muitas vezes estamos dizendo uma coisa verbalmente e a nossa postura está demonstrando outra completamente diferente.

O crítico e poeta americano Ralph Valdo Emerson (1803-1882) disse: “O que você é ecoa em meus ouvidos com tanta força que não consigo ouvir o que você está dizendo”.

Neste sentido muitos professores tem investido inclusive em técnicas teatrais para uma comunicação eficaz e dar um show de desempenho em suas aulas.

A grande dica para uma comunicação de qualidade, é a preocupação com os pequenos detalhes: tonalidade da voz, expressão corporal, linguagem adequada, etc.

Busque seu aperfeiçoamento, como diz a música: “Quem sabe faz a hora e não espera acontecer...”

Fabiano Brum: Palestrante nas áreas de Marketing, Motivação, Atendimento e Vendas, vem destacando-se em palestras, cursos e seminários pela maneira inteligente e criativa com que alia seu conhecimento musical aos temas de seus treinamentos.

E-mail: contato@fabianobrum.com.br - Site: www.fabianobrum.com.br