Novos Caminhos nos Ventos das Mudanças
Por Evaldo Costa
03/11/2010

Você constrói o seu destino ou é guiado por ele? Você atribui a sua situação atual ao destino ou as suas iniciativas? Você acredita e deseja fazer algo de concreto para tomar as rédeas da vida e encontrar novos caminhos? Pois, lembre-se do que diz a sabedoria popular: “algumas vezes, é no vento das mudanças que encontramos a nossa direção”.

Mudar a nossa rota nem sempre é fácil, mas costuma ser simples. O lado prático da vida nos revela que tudo é dinâmico e não temos escolha se desejamos ou não mudar. Mas se a mudança é necessária, o que fazer para conviver bem com ela? A resposta pode não ser nada simples, mas ser flexivel é, quase sempre, um bom começo.

Então, que tal nos espelharmos no bambu? Diante de uma grande tempestade, muitas plantas tentam resistir à força dos ventos e perdem folhas, galhos ou são arrancadas e arremessadas a grandes distâncias. Já o Bambu, simplesmente, curva-se a força dos ventos e deixa que ele passe sem oferecer resistência. O que acontece então? O temporal se vai e ele retorna ao seu posto, forte e formoso como se nada tivesse ocorrido. É como se ele dissesse as outras plantas: “é preciso ceder para poder resistir”.

É melhor percebermos logo que as mudanças ocorrerão, queiramos ou não que elas aconteçam. É preciso perceber que, junto com elas, virão grandes oportunidades e que as mudanças em si pouco nos afetam, o que costuma incomodar é a forma como reagimos a elas. Além do mais, quanto mais rápido percebermos que o mundo é dinâmico, que é muito melhor surfar as ondas do novo do que ser pressionado por elas, como mariscos nas pedras tentando defender-se das ondas do mar, mais rápido alcançaremos o topo.

É preciso compreender que as mudanças são basicamente processos emocionais, como criaturas de hábitos desenvolvidos, usualmente reagimos a elas tentando manter o status quo, daí despreendemos muita energia para resistir, temendo o pior, quando o mais coerente seria usar a sua energia para nos impulsionar em busca de novas oportunidades.

Além de necessária, a mudança pode ser um presente maravilhoso, quando funciona como chave para abrir as portas do nosso crescimento pessoal e profissional. Na velocidade da vida atual, quem não muda, corre o risco de encalhar como se fosse uma embarcação à deriva. O que acontece quando um navio encalha? Ele é castigado por ondas gigantescas, e quando não se parte, termina sua jornada enferrujado e inútil sobre bancos de areia.

A caminhada para o sucesso exige do vencedor ótima capacidade de monitoramento e inspiração para evitar a zona de conforto e desviar dos “bancos de areia” que surgem a cada travessia.

Pense nisso e ótima semana,

Evaldo Costa é Escritor, Consultor, Conferencista e Professor. Autor dos livros: “Alavancando resultados através da gestão da qualidade”, “Como Garantir Três Vendas Extras Por Dia” e co-autor do livro “Gigantes das Vendas”