Análise como Tática
Por Luiz Renato Roble
03/10/2005

Seja qual for o tipo de produto, serviço ou público alvo, o objetivo de qualquer loja é vender. Esteja ela situada em um sofisticado shopping center ou em uma mera galeria, em uma rua comercial de altíssimo nível ou em uma modesta rua de bairro, para que efetivamente venda, a loja deve apresentar uma imagem pertinente, informando com clareza, quais são seus produtos, seus serviços e a quem, exatamente, ela quer atingir.
Qualquer coisa diferente disso é pura perda de tempo e conseqüentemente perda de prestígio, de confiança e é claro, de dinheiro. Para que isto não ocorra é necessário ajustar bem o foco, priorizar ações, ter coragem para inovar e principalmente, falar a mesma língua do público alvo.
É importante analisar todos os itens que formam a identidade visual da loja, como fachada, luminoso, interior, iluminação, comunicação visual, sinalização, material promocional e atendimento. Uma avaliação fria e tática mostrará se o conjunto em sua somatória está apresentando a imagem correta que a empresa quer e necessita transmitir.
Se os produtos e serviços oferecidos são destinados a um público de alto poder aquisitivo, não adianta querer economizar alguns trocados e pecar, por exemplo, na comunicação visual da loja, utilizando banners e cartazes baratos e sem qualidade. Eles irão somente comprometer a identidade da marca e da loja e não estarão comunicando o que se quer
Até parece óbvio. A novidade é que quando os produtos e serviços são destinados a um público de baixo poder aquisitivo, também é importante, investir em uma comunicação visual criativa, vendedora e simples porém, com qualidade. É aí que todo mundo erra, pois não sabem que estes cuidados assegurarão que as informações sejam realmente transmitidas, com profissionalismo e eficácia.
Ações simples, desenvolvidas com criatividade, baixo investimento e um bom design aplicado, sempre garantem uma comunicação com clareza e vendem qualquer coisa a qualquer tipo de público. Dessa forma se estará contribuindo positivamente, também, na construção e na manutenção da marca e da imagem da loja, não apenas durante o período de sua utilização no PDV, mas principalmente, no conceito formado na memória das pessoas.

Luiz Renato Roble criacao@datamaker.com.br
Designer e Diretor de Criação da Datamaker Designers www.datamaker.com.br

Fonte: Datamaker