O Comportamento ético é um bom negócio
Por Bóris Hermanson
21/07/2009

Ética, numa abordagem simples, é um conjunto de princípios e valores morais aceitáveis pela sociedade humana num período específico. Por exemplo: o tratamento diferenciado e privilegiado concedido a pessoas com mais de 60 anos, independentemente da existência de uma legislação específica, é um comportamento eticamente responsável, ou seja, aceitável e até elogiável em nossa sociedade.

Mas como aplicar esta conceituação de ética nos negócios, em especial no mundo da micro e da pequena empresa? Será que a adoção de um comportamento ético resulta na melhoria dos negócios nesse segmento? Bem, analisemos melhor o caso.

Inicialmente, vejamos a aplicabilidade desse conceito no universo dos pequenos negócios.
Imaginemos duas empresas que atuem num mesmo segmento de negócios. Vamos chamar estas empresas de A e B. No nosso exemplo, ambas atuam no segmento de panificação.

Na empresa A o empreendedor, zeloso por manter uma postura ética e não apenas comercial, ajusta o layout (as instalações) de seu estabelecimento para permitir livre trânsito a pessoas portadoras de necessidades especiais (deficientes físicos e pessoas da terceira idade), instalando rampas de acesso no interior de sua panificadora, aumentando a distância interna das gôndolas, demarcando vagas preferenciais no seu estacionamento, fazendo a identificação de produtos em braile, demarcando o chão do estabelecimento com sinalizadores especiais para pessoas portadoras de deficiência visual, entre outras medidas. Certamente todos estes ajustes e alterações terão um custo financeiro.

Por outro lado, a empresa B não adota nenhuma dessas medidas por considerar que a legislação do município onde está instalada não obriga a adoção de tais providências. Qual o resultado prático desses comportamentos diferenciados?

O custo adicional suportado pela empresa A será de alguma forma compensado? A resposta a esta pergunta é muito simples. Num mercado saturado, onde a concorrência é acirrada, a empresa A com certeza sairá ganhando.

Na medida em que os consumidores identificam as alterações promovidas por seu empreendedor para permitir o adequado atendimento de pessoas com necessidades especiais, a mensagem que ficará gravada na mente do consumidor é que se trata de uma empresa ética, que não só respeita as pessoas, mas também se importa com seu bem estar.

Dessa forma, a empresa A terá alcançado um diferencial de mercado positivo em relação à empresa B, que, mesmo não agindo contra a lei, terá maior dificuldade em cativar e manter sua clientela (este processo é conhecido como fidelização de clientes). Desta forma, além da possibilidade de atender a demanda de pessoas portadoras de necessidades especiais, ainda manterá sua cliente habitual e terá uma imagem de excelência que certamente atrairá novos consumidores.

Este é apenas um dos exemplos que ilustram, de forma clara, que a adoção de comportamentos eticamente responsáveis podem resultar num diferencial positivo em relação ao público consumidor

Bóris Hermanson é Consultor do Sebrae-SP

Fonte: Site SEBRAE-SP