De Igual para Igual
Por Dill Casella
18/06/2010

Note que somos invadidos por ofertas de cursos, especializações, pós graduações, mestrados, etc. Muitos deles com o propósito de agregar, compartilhar conhecimento, fomentar novas cabeças para a construção do futuro.

Outros, nem tanto...

Somos avaliados, em tese, pela formação, experiência e pelo grau que atingimos em nossa escolaridade, principalmente quando estamos buscando recolocação profissional. Portanto, o primeiro corte de um recrutador, faltamente sempre será baseado nos títulos que obtivemos até então e, lógico, pelos diplomas conquistados.

Ainda bem que a história não para por aqui...em uma entrevista é que mostramos quem efetivamente somos, o que pensamos e a quantas anda nossa carga de conhecimentos.

Essa carga de conhecimentos, atrelada à nossa maturidade emocional, imprime nosso DNA Corporativo e Empreendedor e, consequentemente, nos qualifica ou não para uma atribuição.

Erros de classificação são clássicos! Já acertei e errei muito ao contratar para as equipes que construí. A maturidade emocional durante a entrevista pode não representar a maturidade de fato de um colaborador. O difícil é descobrir isso meses depois...Ou corrige-se o rumo ou a colisão é inevitável (o que também pode representar crescimento para todos!).

Por outro lado, você pode entrar com a melhor das intenções como colaborador de uma corporação e sentir que a realidade é bem diferente daquela expressada na entrevista pelo seu empregador. Muitas vezes ocorre o superdimensionamento da parte do empregado e o paraíso não é tão ensolarado...

Com tudo isso, quero lhe dizer, caro leitor, que títulos e diplomas são extremamente importantes, mas jamais se esqueça: você é e será sempre cobrado por resultados, fruto de seu intelecto e de seu esforço físico e mental (salvo cargos e ascensões meramente políticas...argh!).

A boa notícia é que você pode preparar-se e evoluir consideravelmente seus argumentos e conhecimentos sobre qualquer assunto! Qualquer mesmo!!

Olhe a sua volta. São cerca de 25 livros, em média, os melhores de determinado assunto. Se você comprometer-se em lê-los e estuda-los, logicamente que não será um "diplomado no assunto", mas falará de igual para igual ou até melhor que muitos matriculados em determinados cursos (falo sobre as pessoas que somente focam em possuir o título do curso).

Aproveite o rush, as viagens, o ônibus até o trabalho, o horário da novela ...Crie "expertise" em algo que lhe conceda valor!

Seu valor deverá será reconhecido pelo seu líder! Em seguida, a empresa que você trabalha saberá reconhecer em você um grande potencial de desenvolvimento e crescimento...

Se nem o líder, nem sua empresa conseguirem enxergar isso, talvez seja hora de você testar o quanto o mercado está lhe reconhecendo!

E preste atenção nisso: o mercado está consumidor e ávido por talentos reais! Você pode até surpreender-se com o potencial de torque de seu motor!

Abasteça-se de conteúdo!

Dill Casella (www.dill.com.br) é Engenheiro Civil, pós graduado em Marketing, especialização em Desenvolvimento Gerencial e Empreendedorismo pela FDC e Practitioner pela SBPNL. Com mais de 15 anos em cargos de liderança de empresas de primeira linha, realiza palestras em vendas, atendimento ao cliente, liderança e motivação. Também é compositor, músico, escritor e ator amador.