Eu Quero Ser o Meu Próprio Patrão
Por Maria do Rosário Martins da Silva
06/11/2005

Nos dias atuais, muito se tem falado sobre o empreendedorismo como oportunidade para abrir o próprio negócio. Porém, é necessário conhecer os “dois lados da moeda”. O motivo que leva uma pessoa a querer ter um empreendimento próprio não é apenas um fator profissional. Passa também por motivações pessoais, que se não forem bem analisadas, podem levar à frustração e ao caos da empresa. Muitos se acham “empreendedores” e julgam que basta formalizar a abertura da empresa, colocar produtos dentro do estabelecimento e começar a ter uma vida de realizações. Têm em mente algumas ilusões como por exemplo, o fato de que tendo uma empresa, será dono do seu próprio nariz, ou seja, não trabalhará para mais ninguém. E não fica só por aí. Algumas crenças podem fazer com que o futuro empresário julgue fácil o caminho que irá percorrer. Eis alguns “mitos” que existem com relação a ter o próprio negócio: MITO 1: “Agora eu sou o meu próprio patrão”! VERDADE 1: Todo mundo é chefe do empreendedor: seus sócios, investidores, clientes, fornecedores, empregados, família, comunidade. Mas os empreendedores podem escolher as exigências que vão atender, e quando. MITO 2: “Não vou trabalhar mais em finais de semana. Vou ter muito mais tempo livre!” VERDADE 2: Quem tem o seu próprio negócio não poderá algumas vezes se dar ao luxo de deixar de trabalhar aos sábados, domingos e até feriados, pois precisa atender o cliente a qualquer momento. Lembre-se: estamos na era dos serviços, pois produtos são encontrados em qualquer lugar. Sua empresa existe para resolver os problemas dos clientes. MITO 3: “Vou tirar pelo menos umas duas férias por ano!” VERDADE 3: Muitos empreendedores não conseguem às vezes se ausentar do seu empreendimento por muitos dias. É claro, que com uma boa equipe e uma boa administração, ele terá suas merecidas férias, mas o início do empreendimento exigirá muito sua presença. MITO 4: “Vou ter rendimentos bem maiores e em curto prazo, sendo meu próprio patrão do que como empregado de uma empresa” VERDADE 4: Todo empreendimento necessita de altos investimentos durante algumas fases, desde seu início até que comece a atingir a fase do crescimento. Por muito tempo, será necessário muito mais colocar dinheiro na empresa do que retirar. Não se tem lucro imediato, principalmente, quando a empresa não é conhecida no mercado. MITO 5: “Meu melhor amigo será meu sócio e nosso relacionamento será muito bom” VERDADE 5: A sociedade é como um casamento, e muitas vezes, aquela pessoa que o empreendedor julgava que, por ser seu melhor amigo será seu melhor sócio, poderá decepcioná-lo. Amizade e o companheirismo são coisas bem distintas. A amizade não garante sucesso ao novo negócio, e a ausência de sucesso pode certamente acabar com a amizade. O que deve prevalecer entre os sócios é respeito mútuo e solidariedade nos bons e maus momentos, ou melhor, companheirismo. Não é à toa que os índices de falência de empresas são tão altos. No mundo inteiro, toma-se como base uma estimativa segundo a qual 80% das empresas fracassam em três anos de vida. A estimativa é certamente exagerada, mas não está muito longe da verdade. Se as possibilidades de fracasso são tão grandes, é justo incentivar as pessoas a correr esse risco? Não, se abrir empresas for o equivalente financeiro a dar um salto no escuro. Sim, se uma cultura empreendedora ajudar a avaliar e a minimizar os riscos, se os fracassos puderem ser encarados como uma etapa no processo de aprendizado. É a esse processo que se refere o espírito empreendedor, algo bem diferente do espírito de aventura. Portanto, ter o próprio negócio e ser “dono do seu próprio nariz” passa por outros caminhos. É preciso saber identificar as oportunidades, ter visão de futuro e, além de tudo, não se esquecer que nenhum empreendedor nasce pronto, e que o sucesso de um empreendimento passa por muitas fases (algumas delas muito doloridas) e que o amadorismo pode ser um grande inimigo para o futuro empreendedor. Não acredite simplesmente na sorte. Estude todas as possibilidades, conheça o mercado em que pretende atuar, faça um bom plano de negócios, e se prepare para uma vida dura, porém, gratificante, sendo um grande empreendedor de sucesso!

Maria do Rosário Martins da Silva é Mestre em Marketing. Especialista em Recursos Humanos e Marketing. Professora em cursos de Graduação e Pós-Graduação. Palestrante nas áreas de Motivação, Empreendedorismo, Recursos Humanos, Marketing, entre outros. Experiência em desenvolvimento de pessoas nas áreas de Marketing, Recursos Humanos, Empreendedorismo, Dinâmicas de Grupos, Jogos de Empresas, Técnicas Vivenciais e Oratória. Contato: zarinhamartins@hotmail.com