O Líder de Hoje e seu papel nas organizações
Por Maria do Rosário Martins da Silva
02/05/2006

Estar à frente de uma empresa, dirigir pessoas e processos é o papel desempenhado pelo gerente. Porém, era e ainda é exercido por algumas pessoas com total significado de poder. O CHEFE, aquele “todo poderoso” que bradava a todos os cantos: “MANDA QUEM PODE, OBEDECE QUEM TEM JUÍZO”, foi aos poucos, sendo substituído por um novo conceito de liderança. Surgiu, através de mudanças necessárias para a motivação e felicidade dos colaboradores outrora chamados de subordinados, uma nova maneira de comandar. Aquele perfil que mandava, amedrontava, administrava e bradava para todos os cantos a palavra “Eu”, foi sendo extinto e substituído pelo líder que, ao contrário do que se conhecia, orienta, entusiasma, inova, é facilitador e a palavra que se ouve dele é “Nós!” Entramos na era da Liderança Entusiasta, que seduz, envolve, apaixona e realiza com prazer, otimismo e determinação, porque tem, acima de tudo, um sentido de missão. Por isso, ele energiza sua equipe todos os dias, ao contrário de outros que “enervisam”, levando seus colaboradores a um total descontentamento e desmotivação, porque não compreende o real sentido de EQUIPE. O Líder Entusiasta é aquele que, acima de tudo, sabe ouvir, sabe o que falar e demonstra interesse pela comunicação dos outros incentivando-os a participarem com suas idéias, através do incentivo à criatividade e iniciativa, pois lidera com as portas abertas, onde todos encontram respeito e dignidade. Acreditando nas pessoas, não as humilhando e trazendo-as para próximo de si, respeitando a individualidade daqueles que fazem parte de sua equipe, teremos o líder do novo milênio. Aquele que é capaz de “flagrar” as pessoas fazendo as coisas certas, e não apenas destacando-as perante os outros, pelo erro cometido. É necessário contabilizar as coisas certas que são feitas pelos funcionários de sua empresa, elogiar mais vezes, agradecer sempre, chamá-las pelo nome, bem como, despertar o talento que existe dentro de cada um dos membros da equipe. Somente será capaz de agir de forma a levar as pessoas consigo o líder que tiver um auto-conhecimento, uma auto-imagem positiva, uma auto-estima elevada, sabendo inspirar confiança no grupo e investindo no desenvolvimento de cada um integrante de sua equipe de trabalho. Com certeza, conseguirá trazer para junto de si não apenas colaboradores, mas acima de tudo uma legião de fãs, que o seguirão por todos os caminhos. O grande e verdadeiro líder dos tempos atuais, como cita Peter Drucker, considerado o Pai da Administração “deverá possuir a capacidade de aprender, desaprender e reaprender.”

Maria do Rosário Martins da Silva é Mestre em Marketing. Especialista em Recursos Humanos e Marketing. Professora em cursos de Graduação e Pós-Graduação. Palestrante nas áreas de Motivação, Empreendedorismo, Recursos Humanos, Marketing, entre outros. Experiência em desenvolvimento de pessoas nas áreas de Marketing, Recursos Humanos, Empreendedorismo, Dinâmicas de Grupos, Jogos de Empresas, Técnicas Vivenciais e Oratória. Contato: zarinhamartins@hotmail.com