O Mercado Cor de Rosa - As Empresas Estão de Olho Nele
Por Maria do Rosário Martins da Silva
06/11/2005

Preconceitos à parte! Chegou a hora de encarar a realidade de um segmento que vem enchendo os bolsos dos empresários que apostaram em um mercado que durante muito tempo, ficou esquecido, lutando pelos seus direitos. Os profissionais de Marketing e empresários, porém, agora estão de olho nesse público que apesar de retaliações e “olhares desconfiados”, tem rendido milionários lucros para quem apostou em sua capacidade de consumir de uma forma grandiosa. Trata-se do Mercado Gay, hoje chamado de GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros), A Parada Gay, ocorrida em São Paulo no último dia 29, confirmou a importância desse público para o mercado, reunindo aproximadamente 2 milhões de pessoas em São Paulo, movimentando a economia através da aquisição de produtos e serviços, bem como a fomentação do turismo, fazendo muita gente estalar os dedos contando os lucros obtidos. Vejamos alguns dados que confirmam o poder desse segmento: - Segundo pesquisa recente da Álibi, operadora de turismo para gays, esse segmento movimenta anualmente cerca de R$ 150 milhões somente em São Paulo - Dados da mesma pesquisa mostram que 84% dos gays na cidade pertencem às classes A e B. - Eles têm alto poder aquisitivo, com rendimento médio de R$ 1.000,00 por mês e movimentou US$ 2 bilhões de dólares no mundo em 1999, e cresce a uma taxa anual de 30%. - O setor turístico praticamente triplicou nos últimos 3 anos o número de agências especializadas no atendimento ao público gay, havendo hoje 30 agências em todo o país. Além disso, a freqüência de viagens desse público é em média de 6 vezes ao ano. Outro dado importante é que esses consumidores geralmente não têm filhos e são consumidores vorazes. “O mercado está de olho nisso”, fala o diretor de Mídia da Lew, Lara. Canais como Sony e HBO fogem do rótulo de “programas para gays” em atrações como Queer Eyer for the Straight Guy, The Ellen Show, Will & Grace e Queer as Folk (Os Assumidos). Mas o fato é que aproveitam bem cada migalha de sucesso dessas atrações. Segundo os organizadores da Parada Gay, representantes do Guiness Book, o livro dos recordes, acompanham a festa, que poderá ser reconhecida como a maior parada gay do mundo. A estimativa é que a festa tenha trazido para a capital cerca de 400 mil turistas, o que representa receita de R$ 240 milhões para a cidade, tendo como base um gasto médio de R$ 600 em três dias. Esse, portanto, é um mercado ideal para as empresas investirem em produtos e serviços, deixando de lado o preconceito e tendo uma visão de marketing capaz de alcançar os objetivos de qualquer empreendimento: lucro através do atendimento às necessidades e desejos de seus clientes!

Maria do Rosário Martins da Silva é Mestre em Marketing. Especialista em Recursos Humanos e Marketing. Professora em cursos de Graduação e Pós-Graduação. Palestrante nas áreas de Motivação, Empreendedorismo, Recursos Humanos, Marketing, entre outros. Experiência em desenvolvimento de pessoas nas áreas de Marketing, Recursos Humanos, Empreendedorismo, Dinâmicas de Grupos, Jogos de Empresas, Técnicas Vivenciais e Oratória. Contato: zarinhamartins@hotmail.com