NeoConsumidor - Quem Está Preparado para Conquistá-lo?
Por Admir Borges
23/12/2009

Eles nasceram entre 1982 e 1995 e constituem a chamada Geração Y, Millenials, ou EchoBoomers. Isso significa que estamos diante da maior geração de jovens desde os anos 1960, são cerca de 90 milhões de pessoas, que formam uma massa crítica de consumo e um consequente impacto na economia. Percebe-se que o cenário já começa a exigir uma nova maneira de pensar as estratégias de marketing e comunicação, pois o formato tradicional começa a perder força e a propaganda de massa já não surte o mesmo efeito dos últimos suspiros do século XX. O momento exige que as empresas revejam e reestruturem suas ações mercadológicas, se quiserem permanecer na competição. A base que fundamenta as escolhas desse novo consumidor está nas redes sociais, no boca a boca digital, no marketing de recomendação, evento que faz encolher a participação da grande mídia nas decisões de consumo. Todas as organizações, marcas e produtos estão na rota desse furacão, que certamente vai produzir uma mudança sem precedentes no comportamento do mercado e nos meios de produção. Além de ser a geração mais bem informada de todos os tempos, ela não está disponível para as ordens de comando dos estrategistas, uma vez que sua atitude e experiência passa por múltiplos canais e formas de raciocínio sobre o que necessitam e desejam. Para os echoboomers, comprar é viver experiências, é um evento e não uma obrigação de possuir. Sua criticidade é um ponto alto e eles desconfiam de propostas superlativas, bem como dos "bem intencionados". Diversidade é a palavra que melhor descreve essa geração, que está mais interessada nas formas inovadoras e variadas de relacionamento e de interação do que nos malabarismos que as marcas tentam fazer para chamar a sua atenção. Eles pensam comunicação de maneira própria e procuram criar seus espaços e suas mensagens de forma personalista. Transitam pelas ferramentas da internet com muita fluidez, habilidade e competência, expandindo suas redes de relacionamento com impressionante velocidade e capacidade multiplicadora. Esse comportamento é explicado pelo fato que essa geração é a primeira a crescer diante de um computador pessoal, de equipamentos portáteis de reprodução musical, câmeras digitais, celulares e games - inimaginados há vinte anos atrás. Estão interligados quase que 24 horas por dia e são reconhecidos como cidadãos totalmente plugados nos quatro cantos do planeta. No entanto, eles ainda se dão ao luxo de criarem suas tribos e fortalecerem suas opiniões e escolhas. Assim sendo, o cenário atual é um momento de ebulição, em que a constante expansão dos canais de comunicação e as novas formas de consumo, apresentam esse novíssimo perfil de consumidor, que está tirando o sono dos empresários, dos profissionais de design, dos profissionais de marketing e dos publicitários. E isso, com certeza, não vai acabar tão cedo. Se acabar. Viva o neoconsumidor.

Admir Borges é Professor de Marketing da Universidade Fumec