Boas Maneiras Nas Empresas
Por Sonia Jordão
19/02/2011

As empresas demitem muito mais por mau comportamento do que por falta de conhecimento. Portanto, é importante agirmos com boas maneiras e principalmente sermos éticos em nossas ações. Algumas regras simples e que funcionam:

- Ser cortês com clientes internos e externos e ainda com todos os públicos relevantes.
- Planejar a ausência ao trabalho, sempre que possível, de modo a permitir fluxo normal das responsabilidades.
- Ser pontual em termos de horário de trabalho e observar prazos estabelecidos.
- Demonstrar interesse pelo próprio desenvolvimento, participando de reuniões, encontros, eventos de formação e treinamento.
- Zelar pelo bom nome da empresa. Agir de forma irrepreensível, dentro e fora da organização. Nunca falar mal da empresa em locais públicos.
- Não fumar quando esta prática é proibida.
- Apresentar-se sóbrio ao trabalho.
- Agir de modo participativo, de modo que um problema em qualquer ponto da organização seja responsabilidade de todos. Responsabilidade sua, principalmente.
- Ter moral elevado e contribuir para manutenção do clima de trabalho em alto nível.
- Zelar pelo bom nome dos colegas. Varrer de sua vida a fofoca, por mais "bem" intencionada que seja.
- Saber usar a Internet quando está na empresa. Não enviar currículo. Não navegar atrás de pornografia. Evitar ficar muito tempo usando a Internet para fins particulares.
- Ser breve ao telefone e atender com educação.
- Observar políticas, normas e procedimentos.
- Ter cuidado com a higiene pessoal.
- Evitar as brincadeiras. Podem ter a função de aliviar a tensão do grupo em determinado momento e em outros poderá levar um grupo a fugir de uma tarefa.
- Trabalhar sempre com base em fatos. Não julgar baseando-se em suposições.
- Avaliar os riscos de cada decisão que tomar. Medir cuidadosamente as conseqüências do seu ato em relação a todos os envolvidos.
- Atender a todos os clientes da melhor maneira possível, não importa qual seja sua função.
- Ser comprometido com a organização onde trabalha, não desgastar a imagem da empresa.
- Deficiências internas não devem ser levadas para o cliente externo.
- Todas as promessas ao cliente, inclusive as mais informais, devem ser cumpridas.
- Saber ouvir. É aconselhável ouvir mais do que falar, especialmente em se tratando de reclamações e consultas de clientes.
- Evitar competições e rivalidades: estas não atendem aos interesses das organizações. É necessário cultivar boas relações dentro e fora das equipes.

Sonia Jordão é especialista em liderança, palestrante, consultora empresarial e escritora. Autora do livro “A Arte de liderar – Vivenciando mudanças num mundo globalizado”, e dos livros de bolso “E agora, Venceslau? Como deixar de ser um líder explosivo” e “E agora, Lívia? – Desafios da liderança”. e-mail: tecer@soniajordao.com.br - Sites: www.soniajordao.com.br, www.tecerlideranca.com.br, www.umnovoprofissional.com.br