Brindes - Por que a China Faz a Diferença?
Por Ricardo Brener
18/06/2012

Brindes são fundamentais no mercado promocional e tenho percebido um aumento na demanda por ações do tipo "achou, ganhou", "comprou, ganhou", "juntou, trocou". Na busca por novas soluções, estive na China no mês de abril visitando duas das maiores feiras de brindes do mundo.
A principal delas, a Canton Fair em Guanzhou, é realiz ada em três fases, uma vez que o espaço de um milhão de metros quadrados não comporta os 60 mil estandes de uma só vez. É a feira de fomento às exportações chinesas onde se encontram expositores que vão desde peças automotivas a brindes promocionais.
Meu objetivo era trazer referências de brindes que poderiam ser importados ou adaptados e produzidos aqui. Posso dizer que esta visita proporcionou muito mais do que isso.
A China é uma aula de competência em geração de ideias, produtividade, custos e logística. Há muita oportunidade, mas vale dizer que qualquer processo de importação da China deve ser feito com empresas especializadas a fim de minimizar os diversos riscos envolvidos.
Dentre tanta coisa que vi, vale ressaltar uma tendência. Muito em breve teremos uma enxurrada de brindes com iluminação à base de LED. Para o nosso propósito, o que interessa dizer é que LED é um tipo de iluminação mais moderno, com lâmpadas de tamanho reduzidíssimo e baixo consumo de ene rgia, o que o torna extremamente versátil. Como todo avanço tecnológico, LED era algo caro que vem sendo barateado a cada dia. Vi na China diversos brindes que já incorporam essa tecnologia a um custo acessível. Pinças com iluminação, cadarços que piscam, camisetas que brilham no escuro, até mini caixas de som com luz e água que interagem no ritmo da música. Esses custos cairão mais e, em breve, tais brindes serão mais comuns do que imaginamos.
Mas independentemente do tipo de brinde, uma coisa que notei e me fez refletir sobre o porquê a China é a fonte de tantas das soluções promocionais, é que lá, busca-se cada vez mais o cuidado com o acabamento no produto final. Talvez a China seja o país que melhor entende a importância de "parecer ser". Vou explicar. Se eu fosse pensar numa empresa alemã fazendo brindes, estes seriam de alta qualidade, porém caros. Brindes que provavelmente durariam a vida toda. Se essa empresa fosse no Brasil, seus brindes seriam mais baratos, s em muito compromisso com a aparência, pois afinal, não se pode esperar muito de algo tão barato. Mas na China, existe o verdadeiro conceito de brinde de baixo custo, mas com ótimo acabamento, o que lhe confere mais valor.
Para promoção, a mentalidade chinesa está muito à frente. Afinal, custo baixo é inevitável, então, que a partir daí, se consiga a melhor aparência possível. Mais do que "ser" ou ter justificativa para "não ser", a China tem crescido no mercado de brindes "parecendo ser", e está certíssima. Temos muito o que aprender com eles.

Ricardo Brener é sócio-diretor da Agita Brasil, especializada em marketing promocional. www.agitabr.com.br