Causos do Arnesto
Por Fernando Adas
30/09/2010

Crie pesquisas grátis Crie, analise e compartilhe pesq. Grátis para testar, participe hoje! www.SurveyMonkey.com
Sistema Gestão 100% WEB Diferencie sua empresa com CRM Simples, Completo e Baixo Custo. www.brascomm.net
Sistema ERP Software de Gestão Empresarial. Mais Inteligência para Seu Negócio. www.bohm.com.br
Coaching Organizacional Sociedade Brasileira de Coaching. Única credenciada pelo ICC (EUA)! www.CoachingAlphas.com.br

"O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás
Nós fumos não encontremos ninguém
Nós voltermos com uma baita de uma reiva
Da outra vez nós num vai mais" (Adoniram Barbosa)

Atuo na área de RSVP telefônico há alguns anos, percebo como os eventos são vastos ambientes para o surgimento de causos. Nos anos 90, a empresas descobriram o telefone como mídia dirigida. Ainda hoje, muitas tentam utilizá-lo para funções que extrapolam sua capacidade e o resultado. Quem já não recebeu aquela ligação noturna, oferecendo um cartão de crédito inovador.

Percebo que a área de eventos é a "bola da vez". Uma empresa precisa comunicar ao mercado o lançamento de uma nova "máquina- transcodificadora-de-partículas-protéicas e… "bingo"… já programa um café da manhã para os diretores de marketing das cem maiores multinacionais presentes no Brasil. O causo está prestes a acontecer.

[parênteses] Ano passado, fiz uma rápida pesquisa com executivos de primeiro escalão, perguntando-lhes sobre quantos eventos eram convidados mensalmente e em quantos compareciam. Os números são espantosos, são convidados para 25 a 30 eventos e comparecem a seis ou oito.

Assim, o café da manhã terá mais sucesso, na medida em que houver pertinência e relevância no seu propósito. Relevância de palco e não no buffet de croissants. Digo isso porque o nosso causo envolve croissants.

Em um dos eventos ao qual assumimos o RSVP, tínhamos como meta, a confirmação de 200 participantes. Iniciamos o contato inicial de atualização cadastral com 1500 nomes e objetivamos 400 adesões. Sim! Pois, o brasileiro confirma presença e não aparece ao evento, sem o menor constrangimento, sempre alegando as dificuldades de agenda ou de trânsito. Mas, voltando aos croissants, durante o coffe break, ouvimos uma conversa entre dois executivos:

Executivo A: Está gostando do evento?
Executivo B: O buffet está melhor que a palestra.
A: Já provou o croissant de goiaba? Está melhor que o power point apresentado.
B: Rapaz, vou conferir. Vamos almoçar hoje?
A: Estou indo para um outro evento da empresa Tal, lá na Berrine.
B: Haverá almoço?
A: Opa! Da entrada à sobremesa.
B: E sobre o que será o evento?
A: Acho que sobre tecnologias virtuais.
B: E o que é isso?
A: Vamos descobrir juntos?

Causos como esse são fruto de um evento mais promocional que relacional, ou seja, projetos em que, às vezes, o hotel ganha mais destaque do que o tema da apresentação. Por isso, sempre bom lembrar de que o evento de sucesso apoia-se no tripé: perfil do mailing + pertinência e relevância da oferta + estrutura operacional.

Quanto melhor você conhece seu público, melhores ofertas dirige a ele. Ofertas que estimulem o cérebro, o coração, o bolso de seu prospect… e também o estômago, em um quarto momento.

*Fernando Adas, diretor de planejamento e atendimento da FM – The Fine Marketing, é um especialista em Treinamento de Vendas, Comunicação de Varejo e em Projetos de Atendimento e Relacionamento em Marketing Direto.
E-mail: fernando@fmarketing.com.br
Site: www.fmarketing.com.br
Blog: http://blog.fmarketing.com.br