Estágio - Como Alinhar os Interesses Mútuos
Werner Kugelmeier
28/01/2012

Do lado da empresa

Uma pesquisa mostra que a maioria dos estagiários se vê apenas como mão-de-obra barata para a empresa. Além disso, eles reclamam da pouca informação que recebem do chefe imediato e do baixo índice de efetivação como funcionário da empresa, depois de terminado o período de estágio.

Entre os pesquisados, a maioria cursa Administração (30%), depois vem Engenharia (19%), Direito (10%) e TI (10%). Desses, 34% vão concluir a graduação este ano e 95% participaram de processo seletivo para conseguir o estágio.

Os estagiários destacaram que o mais importante - no programa de estágio - são: aprendizado (61%), agregar conhecimento (49%), integração com a equipe de trabalho (41%), acompanhamento das atividades (39%) e efetivação (26%).

Na visão dos estagiários, as empresas deveriam oferecer a efetivação (41%), benefícios equivalentes dos funcionários (40%) e treinamento e cursos (38%).

Os pontos fracos dos programas de estágio, segundo a pesquisa, são: estagiários como mão-de-obra barata (69%), desvalorização deste profissional (42%), atividades não alinhadas com aprendizado da faculdade (41%), má remuneração (32%) e inexistência de treinamento e cursos (23%).

Do lado do estagiário

* Mais responsabilidade

Tire da cabeça que por não existir um vínculo empregatício com a empresa que você é turista e pode entrar ou sair da forma ou na hora que bem entender. Trate com seriedade informações sigilosas e equipamentos que usa. Estágio não é playground, é trabalho e futuro (o seu).

* Mais não ter vergonha

Você não é um profissional e por isso não é obrigado a saber tudo.
Não tenha vergonha de dizer “não sei”; melhor: “eu não sei como se faz isso, mas vou procurar aprender para lhe dar uma resposta”.
Com isso, fica caracterizado que você é honesto e também interessado em solucionar os problemas que aparecem em sua frente. É preferível um não sei com 100% de certeza do que um “eu sei” com 50%.

* Mais comportamento sério

O comportamento não é só a roupa, mas também aprender a falar e ouvir. A empresa não é mesa de bar . Cuidado com o que fala e para quem fala.

* Mais curiosidade

Via de regra quando se está na etapa do estágio, se é jovem com todo o gás. Então o necessário é dar vazão a este gás de uma forma direcionada, aproveitando o conhecimento daqueles que já estão na estrada há mais tempo e questionar, perguntar sempre.
Queira saber como seu colega chegou a determinado objetivo, que caminhos traçou, como transpôs os obstáculos e anote tudo. EINSTEIN...

* Mais aproveitar-se da empresa

A maioria das empresas possui um vasto arsenal de competências técnico e também uma profusão de softwares que você pode estudar e ampliar seus conhecimentos. Participe de tudo (trabalhos de grupo, projetos...), mostre interesse e amplie seus conhecimentos.

* Mais criar rede de contatos

A rede de contatos (networking) é aquela que lhe trará as melhores oportunidades e posições no futuro. Se você é um bom profissional, competente e responsável, certamente seu ex-colega de trabalho ou superior usará as melhores palavras sobre você quando precisar usá-los como referência.

* Em suma, mais profissionalismo

Se você quer realmente ser um profissional, aja como tal. Uma pesquisa realizada da por um dos maiores grupos de RH do país em 2004 mostra que somente 6% dos estagiários são efetivados. O problema: falta de profissionalismo.

O estágio deve ser visto como parte de sua carreira e não somente como uma tarefa a ser executada. Tenha paixão no que faz e faça bem feito. O mercado procura bons profissionais e estes muitas vezes são ou foram estagiários comprometidos não somente com o que trabalham, mas também com tudo a sua volta.

Werner Kugelmeier é Diretor da WK PRISMA - EDUCAÇÃO CORPORATIVA MODULAR, Empresa de Treinamentos Empresariais, de Campinas – SP, www.wkprisma.com.br, Autor do Livro “PRISMA – girando a pirâmide corporativa”, wkprisma@wkprisma.com.br - (19) 3296 4341/ 3256 8534