O Visível Produto Invisível
Por Ivan Postigo
27/01/2011

A invisibilidade é um sonho do homem. Não faltam histórias em quadrinhos e filmes expressando esse desejo, repletos da mais pura imaginação.

Quando falamos de invisibilidade, logo nos vêm à mente os ninjas e seus truques para surpreender os oponentes. Com ou sem suas bombas de fumaça.
Sabendo que o foco em um determinado ponto reduz a visão periférica, criavam artimanhas para chamar a atenção e se tornarem “invisíveis”. Um recurso habilidosamente usado também pelos mágicos.

As descobertas, alimentadas pela imaginação, provocam novos delírios. E o homem está prestes a conseguir a invisibilidade.

Não com transferência de matéria como apresentado nas séries e filmes Jornada nas Estrelas -Star Trek - sob o comando do Capitão Kirk, auxiliado pelo vulcaniano Senhor Spok, que se juntou à Frota Estelar no USS Enterprise.

As descobertas são de que as luz precisa refletir para que o olho humano capte a imagem. Caso esta mude seu trajeto, ao redor do objeto, este se torna invisível. Fantástico, ficção?
Não, realidade!

O homem, com toda sua inventividade, já fabrica “metametais” e consegue essa proeza com objetos minúsculos. Testes apresentam resultados positivos, também com câmeras, no desenvolvimento da capa da invisibilidade.

Você deve estar curioso e se perguntando: qual será a aplicação?

Vou deixar por conta da sua imaginação, mas antes falarei da questão com um pouco de tristeza. As aplicações que vi, em sua maioria, têm destino bélico.
É estranho, o homem, desde que surgiu no planeta, tem procurado um meio de extinção. Pelo pouco que sei, tivemos em toda nossa existência apenas 300 anos de paz absoluta e, não faz muito tempo, temíamos a chegada do ano 2.000, agora nos apavoramos com 2.012 por causa dão calendário Maia!

Se você está achando que esse assunto tem foco limitado, enganou-se.

Vivendo agora em um mundo globalizado, o homem não tolera o anonimato e se debate pela visibilidade.

Duvida? Responda então: - O que faz esse mundaréu de gente nas redes sociais, postando idéias, fatos e fotos?

A questão se torna complexa quando, para conseguir visibilidade, procuramos nos assemelhar.

Ou, para dar destaque aos nossos produtos, copiamos embalagens e rótulos campeões.

Por que não ser totalmente diferente, como um ponto vermelho em um mundo azul?

Experts em visibilidade nos diriam: - O azul, agora, é quem faz sucesso! Vermelho? Quem sabe um dia!

E assim nos tornamos azuis!

Isso não é um ”paradoxo”? Vestimos a capa da invisibilidade para sermos notados e no meio de milhares gritamos em busca de atenção?

Talvez em outros campos, mas no mercadológico se chama “paradigma”, há um padrão a ser seguido.

Quando notado, aceito e aclamado, meu azul não é um azul comum. Meu azul é mais azul que os demais, ainda que semelhante!

E, moda que é moda é “paratodos”.

Você acha que fui?

Não!

To invisível.

Epa, duvida não...

Ivan Postigo é Economista, Bacharel em contabilidade, pós-graduado em controladoria pela USP. Autor do livro: Por que não? Técnicas para estruturação de carreira na área de vendas e diretor da Postigo Consultoria de Gestão Empresarial - Fones (11) 4526 1197 / ( 11 ) 9645 4652
www.postigoconsultoria.com.br - ipostigo@terra.com.br