É Hora de Lição
Por Eliane Pisani Leite
28/07/2007


Todos nós sabemos, escutando falar ou vivenciando na própria família, como é a rotina das crianças na hora de fazer lição ou estudar.

Para alguns pais é um momento tranqüilo, onde os pais se sentam com as crianças e começam a explicar e ajudar nas tarefas de casa, este talvez seria o melhor modelo de rotina, porém todos sabemos que nem sempre isso acontece. A resistência das crianças para lidar com as tarefas muitas vezes causam um enorme desgaste aos pais.

A função dos estudos é a de promover o desenvolvimento dos pequenos, mas matéria nova significa novidade, e tudo que é novo assusta num primeiro momento, porque as pessoas em geral ao lidar com o novo não tem domínio da situação ou do conhecimento que esta por adquirir. Finalizando essa primeira etapa, fica mais fácil passar para a próxima, que constitui em absorver e registrar o novo conteúdo, e fazer uso posterior das informações já adquiridas.

Para facilitar esses momentos tão penosos para algumas famílias, podemos tomar algumas medidas que irão ajudar nossos filhos nessa árdua tarefa.

O ideal seria que o ambiente estivesse muito calmo, porém sabemos que nem sempre é possível pois enquanto um filho vai estudar o outro, não tem lição e quer assistir TV ou brincar de vídeo-game, bem nesses casos o melhor é que o adulto que estiver assumindo a situação use de seu bom senso para mediar o impasse.

Dispondo de um ambiente calmo, o fundamental é criar horários para comer, dormir, estudar e se divertir.

O hábito de estudar e fazer as lições depois que chega da escola, é uma boa alternativa, pois a criança ainda esta lembrando de toda a matéria estudada em sala de aula, não que irá esquecer logo em seguida, mas a memória ainda esta mais aguçada com o que foi visto há pouco.

O local deve ser bem iluminado e arejado, um fator muito importante é usa uma cadeira com bom encosto e anatômica, para evitar problemas futuros, os pés das crianças devem alcançar o chão ou dispor de um apoio para descansá-los como um banquinho, para aliviar a tensão nas lombares pela postura sentada.

Atualmente existem estudos avançados sobre a influência das cores em nossas vidas, e porque não fazer uso desses conhecimentos para melhorar o nosso dia a dia.

Muito se fala na utilização da cor marrom para ancorar, proporcionar segurança, centrar o indivíduo. Essa cor poderia ser usada em qualquer acessório na mesa de estudos, se for a cor da mesa por exemplo, isso seria ótimo. Outra cor indicada seria algum objeto amarelo, pode ser um quadro colocado de frente para quem esta sentado, ou objeto de adorno. O amarelo aciona o intelecto, promove as funções intelectuais, porém é bom saber que as cores também devem ser usadas com moderação, pois caso contrário o efeito pode ser prejudicial.

Outra ciência que esta trazendo novidades é a Aromaterapia, ou seja a utilização dos aromas para estimular sensações e sentimentos, os antigos já sabiam disso mas naquela época não havia estudos científicos avançados como existem hoje.

Essências como Bergamota e Lavanda estimulam a atenção, além da Lavanda funcionar como tranqüilizante. Podem ser adquiridas em saches ou óleos essenciais, é recomendável sempre seguir as instruções do fabricante. Essas medidas paliativas podem ser utilizadas desde que se respeite as condições das crianças, por exemplo se uma criança sofre de qualquer tipo de alergia, é bom consultar o médico para saber se o uso desses aromas é indicado.

Acompanhar a execução das tarefas de perto é sempre aconselhável, desde que não seja feita nenhuma tarefa para a criança, pois perceber onde elas estão errando é fundamental para que a professora reforce o conteúdo em sala de aula, como também não passa a sensação de que ela não é capaz de fazer sozinha.

Os pais que trabalham fora e chegam tarde em casa, podem monitorar as lições pelo telefone, isso é melhor que nada. Se houver dúvidas para realização das lições, peça à criança que faça o que ela souber e deixe as duvidas para você ajudá-la quando chegar.

Tenho observado quando peço para dar uma olhada no material dos meus clientes, que muitas vezes não sabem sequer utilizar a agenda e tão pouco o dicionário. Os pais precisam ficar atentos a esses detalhes para ajudar na organização de seus filhos, uma agenda corretamente preenchida já é uma ótima aliada para não esquecer os compromissos e tarefas.

A utilização do dicionário, além de contribuir para aprimorar habilidades do raciocínio, pois existem regras para ser consultado, como por exemplo a seqüência das letras do alfabeto na extensão da palavra, auxiliam na construção de um texto correto, tanto em conjugação verbal, como em significado correto para expressar uma idéia ou frase, e outros tantos benefícios a serem adquiridos como a disciplina em se envolver de fato com o que se esta fazendo para uma boa apresentação de trabalho.

Os pais tem uma leve tendência a fazer comparações entre os filhos ou entre parente ou amigos, isso como já falamos em outros capítulos deve ser abolido do discurso verbal, devemos sempre lembrar que cada ser vivo é único e tem uma missão a ser cumprida em sua vida, se forem desviados de sua rota natural, todos podem sofrer as conseqüências, mas se forem bem encaminhados e compreendidos, todos irão usufruir dos benefícios. É aquela velha estória da floresta, o pato queria subir em árvores e a tartaruga apostar corrida nas olimpíadas dos animais, no final da disputa e estando muito estressada a tartaruga se convence o quanto é bom andar devagar, e o pato todo machucado por tentar subir na árvore para competir com o esquilo percebe como é bom e acolhedor o seu lago para nadar.

Associar os estudos a uma tarefa pouco satisfatória, não é nada eficaz, devemos sempre estimular nossos filhos a leitura no período de férias, chamar a atenção para jogos e tarefas de desafio que requerem esforço mental, como todos os jogos de regras que existem no mercado e principalmente o xadrez, que a meu ver deveria ser inserido no programa de toda escola, pois a estimulação de raciocínio que este jogo em especial implica acho surpreendente como auxiliar para resolver as mais diversas tarefas e desafios da vida adulta.

Solicitar aulas de reforço, pode contribuir muito para tirar dúvidas específicas, das quais o adulto nem sempre tem bom domínio naquela matéria, desde que essa solicitação não seja freqüente e para todas as disciplinas, pois nesse caso estaríamos diante de um aluno com sérias dificuldades de aprendizagem, que requerem um estudo do caso mais cauteloso, as aulas de reforço serão sempre bem vindas.

Para cumprir com tantos compromissos é necessário muita disciplina e responsabilidade, mas lembre-se muitas vezes o melhor ensinamento parte do exemplo dos mais velhos, e se você que é pai costuma ser organizado e responsável,provavelmente seu filho seguira seu exemplo.



Eliane Pisani Leite - Autora do livro: Pais EducAtivos

Pisicologia Acupuntura Psicopedagogia - pisani.leite@terra.com.br