Projetando um novo centro de distribuição

Por Eduardo Banzato

25/11/2003



No projeto de um centro de distribuição, sugere-se cinco etapas para projetar uma nova instalação.

1. Determinar os requisitos que a nova instalação precisa atender
Projetar quais serão os requisitos daqui a cinco ou sete anos, em vez de projetar para acomodar os níveis atuais de negócios.
Estoque e faces de separação associadas são os principais elementos de espaço na maioria das instalações. Assim, levantar o perfil dos estoques projetados, sendo o mais exato possível em tais projeções. Inacuracidades que possam parecer menores podem ter um impacto dramático.
Além disso, desenvolver estatísticas de pedidos projetados, incluindo o número de pedidos por dia, linhas por pedidos e peças por linha. Coordenar com os executivos de marketing para levar em consideração as necessidades dos clientes.
Não ter capacidade suficiente de doca por atrasar as operações.
Para evitar isto, leve em consideração os seguintes elementos:
- Sincronização da chegada dos veículos de recebimento/expedição;
- Tempos de espera;
- Tempos para carregar e descarregar;
- Número de SKUs;
- Requisitos de divisão e movimentação.

Após os critérios de projeto terem sido desenvolvidos, fazer com que sejam revisados e aprovados pelos mais elevados níveis administrativos possíveis.

2. Desenvolver alternativas viáveis do projeto
Depois, identificar os projetos alternativos que podem satisfazer os requisitos de negócios que foram projetados na primeira etapa. Procurar por idéias fora de seu próprio ramo.
As alternativas, que podem variar amplamente em termos de sofisticação técnica, devem focalizar opções de:
- Fluxos de materiais;
- Módulos de separação e de estocagem;
- Equipamentos de movimentação de material;
- Suporte aos sistemas de informações;
- Configurações de construção;
- Layouts.

Fazer a primeira seleção dos projetos alternativos, testar o retorno e a praticidade e descartar aqueles que não fazem sentido.

3. Analisar os aspectos qualitativos e quantitativos das alternativas
Ao analisar cada alternativa, desenvolve métodos e layouts operacionais o suficiente de modo que seja possível analisá-los adequadamente. Poderá ser necessário utilizar simulação de computador para avaliar a produtividade e o throughput de cada alternativa. Examine o seguinte:
- Fluxos, incluindo movimentação de produtos e gargalos;
- Capacidade de separação e módulos de estocagem;
- Equipamentos móveis - quantidade, tipo e capacidades;
- Equipamentos de transporte e de classificação, por zona;
- Quadro de funcionários;
- Orçamentos de capital para a instalação, equipamentos e sistemas de informações;
- Orçamentos operacionais anuais, incluindo quadro de funcionários, manutenção, serviços públicos e sistemas de informações relacionados.

Durante a análise qualitativa, analisar cada projeto alternativo:
- Flexibilidade, incluindo a capacidade de atualização ou modificação e para acomodar os requisitos em mudança;
- Dificuldade de implementação;
- Dificuldade de manutenção;
- Treinamento, no start-up e contínuo;
- Integração do WMS com os componentes do sistema de movimentação de materiais.

4. Tomar decisões e documentá-las
Fazer uso das análises como a base para a tomada de decisão. Documentar totalmente os motivos para a(s) decisão(ões), a(s) qual(ais) pode(m) ser utilizada(s) ao desenvolver o fundamento lógico e a justificativa das decisões.

5. Implementar a nova instalação
Começar pelo desenvolvimento de um plano minucioso, utilizando uma programação do projeto. Definir datas para entrega e instalação dos equipamentos, bem como outras tarefas de projeto de caminho crítico.
Escrever especificações de desempenho para sistemas de equipamentos e de informações. Avaliar propostas e selecionar fornecedores. Coordenar com fornecedores durante as fases de projeto e de desenvolvimento.
O esforço e a energia necessários para a última etapa do start-up real e a depuração de erros são inversamente proporcionais à qualidade do planejamento. Quanto melhor o plano, tanto menor o tempo que você terá para se dedicar a apagar incêndios e fazer ajustes de último minuto no campo.

Eduardo Banzato é Diretor e instrutor da IMAM Consultoria Ltda, empresa especializada na solução de problemas relacionados à logística e engenharia industrial, movimentação e armazenagem de materiais, técnicas modernas de administração da manufatura e estratégias de produtividade. www.imam.com.br e www.revistaintralogistica.com.br




 

O portal do Marketing respeita seus visitantes e usuários. Leia aqui a Política de Privacidade