Por Que Construir Uma Mentalidade De Marketing Na Empresa?
Por Antomar Marins e Silva
14/07/2022

Numa roda de amigos e marketeiros foi levantado se seria possível se criar mentalidade de marketing em uma pequena empresa. Em primeiro momento isto parecia ser utópico, pois falar deste assunto para empresários de pequenas empresas seria “perder tempo”, porém, com avançar de nossa discussão chegávamos à conclusão que não só seria possível como necessária.

Por que estabelecer a mentalidade de marketing em sua empresa?

Queria dedicar este artigo a um problema que é a base de todos os males que espreitam nossas empresas. Embora pouco a pouco o paradigma empresarial seja atualizado, ainda existe uma ampla rede de empresas que continua a funcionar de acordo com a mentalidade de produção. Suas consequências costumam ser devastadoras, principalmente em empresas jovens que não possuem mercado de trabalho. Você quer saber por quê?

Você ainda acredita que a qualidade não precisa de publicidade?

Por favor, diga-me, não! Esta é uma afirmação que ouvi mais de uma vez, duas e três vezes. Mais vezes do que qualquer um deveria ouvir. É um conceito que martela minha cabeça e não me deixa dormir, porque é uma falsa crença. Um ditado popular com seguidores, só porque se diz.

É uma crença que faz parte da herança de uma cultura empresarial obsoleta que não corresponde aos tempos. É uma mentalidade que se desenvolveu nas décadas de 1960 e 1970, num contexto social e económico muito diferente do que vivemos hoje. E é isso, quem viveu essa época áurea da economia brasileira, diria que há 60 anos tudo o que se produzia era vendido. A demanda era tanta que o marketing não fazia sentido na gestão empresarial, pois o importante era produzir. Assim, as atividades comerciais e publicitárias eram necessárias apenas para colocar no mercado os produtos que já estavam em demanda.

A mentalidade de produção

Muito dessa mentalidade permanece na gestão de nossas empresas, principalmente nas médias e pequenas, que ainda pensam que marketing não é para empresas do seu porte. Como detalha José María Sainz de Vicuña Ancín em seu livro The Plano de Marketing na Pratica, neles:

O cliente pouco se importa. E mesmo que se diga o contrário, importa apenas a reação do cliente ao serviço ou produto oferecido.
A maior parte do esforço de negócios está focada no produto. Uma vez que não se analisa a procura nem se ouve o cliente, criam-se produtos que não respondem às expectativas e desejos do cliente

Gerencia-se pensando que a qualidade não precisa de publicidade. Então essas empresas não fazem nenhum esforço de marketing porque, embora queiram conquistar maiores fatias de mercado, quem conhece o produto sabe que é o melhor. Um verdadeiro absurdo.

A estratégia de produto é baseada no apelo visual da embalagem, pensada com o único propósito de se destacar no canal.

Se usada, a publicidade serve apenas para enfatizar as características objetivas do produto e sua qualidade, ou sua relação custo-benefício se a qualidade objetiva for inferior.

A I+D+i aposta na inovação do produto, focando-se na oferta de mais qualidade e/ou valor técnico para o cliente, mas sem ter em conta os seus desejos e expectativas.

A mentalidade de produção bloqueia as empresas com força e as posiciona em um lugar do qual é impossível decolar, se não sobreviver.

O mercado, cinquenta anos depois

Hoje vivemos imersos em um presente marcado pela atualização, instantaneidade maximizada, potencializada e compartilhada em um exercício de feedback constante entre emissor e receptor. Um mundo onde as tecnologias aplaudidas há 10 anos são hoje homenageadas com uma certa nostalgia.

É por isso que precisamos criar empresas que possam se adaptar rapidamente aos mercados. Empresas ágeis que conhecem tão bem seus clientes que conseguem antecipar com uma oferta feita para eles. Felizmente, a maioria das empresas espanholas já colocou o cliente e com ele a mentalidade de marketing no centro das suas empresas.

Dotar a nossa empresa de condições de mentalidade de marketing e melhorar todas as suas tarefas e áreas de acordo com dois princípios fundamentais: (1) obtenção de rentabilidade (2) satisfação das necessidades do cliente.

Então, em vez de criar um produto e depois encontrar quem vai consumi-lo, o que não é apenas muito difícil, mas também caro, as empresas com mentalidade de marketing analisam as necessidades dos consumidores, adaptando sua estratégia e produtos a eles para satisfazê-los. Faz sentido, não é?

Mentalidade de Marketing VS. Mentalidade de Produção
Mentalidade de Marketing VS. Mentalidade de Produção. Fonte: O plano de marketing na prática, José María Sainz de Vicuña Ancín (1995), p. cinquenta

Mude você e seu negócio mudará

Por tudo isso, se você ainda administra sua empresa com uma mentalidade herdada e obsoleta, peço que faça o exercício de observar sua empresa e sua gestão de fora.

Pergunte a si mesmo quem é seu cliente, você os ajuda com seu produto?

• Analise como sua empresa se comunica com ela.
• Verifique os objetivos: eles atendem à mentalidade de marketing?
• Certifique-se de que todos os departamentos trabalhem para atingir esses objetivos.
• Seja corajoso e ouça ativamente a opinião de seus funcionários, pois eles têm uma visão mais objetiva do seu próprio negócio.

Atreva-se a mudar sua empresa e gerenciá-la colocando o marketing e o cliente no centro de sua empresa. Você estará criando uma empresa forte e solvente, com um propósito específico, cuja direção é clara: satisfazer nosso cliente e adaptar o produto a ele. Uma empresa unida pela estratégia onde todos sabem para onde vão e como chegar lá, com os benefícios que isso traz em termos de motivação.

Experimente a mudança. Não resista mais e abrace os benefícios da mentalidade de marketing e lembre-se das palavras de Heráclito: “Nada é permanente exceto a mudança”

Bibliografia: https://www.beonmomentum.com/


Antomar Marins e Silva é Escritor e Consultor de melhoria de resultados de negócios das organizações e especialista em gestão estratégica, professor e facilitadores de treinamentos para os níveis tático e estratégico das empresas. Autor dos livros: Sonhar é para Estrategistas; Gestão Estratégica de Negócios: Pensamentos e Reflexões; Habilidades Gerenciais; Liderando Seu Time Sem Stress; Qualidade: O Desafio da Secretária; Desperdício: Como Eliminá-lo Através dos 5S´s, Lições Aprendidas e outros, além de mais 1.000 artigos técnicos publicados no Brasil e no exterior. Detentor de inúmeros prêmios profissionais, além de honrarias nacionais e internacionais. E-mail: profamarins@gmail.com